[2019] LEITURAS DE AGOSTO

Literatura, Na Estante

Finalmente, depois de muitos e muitos meses (na real, acho que desde o início do ano) eu venho aqui escrever um post de leituras do mês cheia de orgulho.

Mesmo estando um pouco atrasada, já que esse resumão era pra ter estourado por aqui na semana passada, me sinto incrível, pois o post atrasou por ótimos motivos: EU ESTAVA OBCECADA DEMAIS LENDO PRA VIR AQUI ESCREVER!

Infelizmente vocês só vão poder saber com o que eu estava obcecada no mês que vem, quando o post de Leituras de Setembro sair 😀

O motivo de tanto orgulho vocês conferem abaixo, na lista com ONZE LIVROS lidos no mês de agosto:


1) “A Missão Traiçoeira” – Erin Beaty

Sage Fowler abandona seu posto como aprendiz de casamenteira e se envolve em uma nova missão secreta ao lado do capitão Alex Quinn no segundo volume da série O Beijo Traiçoeiro.

Depois de se provar uma espiã habilidosa e uma casamenteira estrategista, Sage Fowler passou a ocupar uma posição confortável na alta sociedade, dando aulas para as princesas do reino de Demora. Quando surge a oportunidade de participar de uma nova missão secreta, porém, Sage quer aproveitar a chance para servir ao seu reino mais uma vez — e ficar mais próxima de seu noivo, o capitão Alexander Quinn. Alex não fica nada feliz com a ideia, já que está determinado a proteger a namorada de qualquer perigo.

A insistência de Sage em fazer parte da missão faz com que eles se desentendam cada vez mais e, quando um conflito com um reino vizinho resulta em uma tragédia, os dois acabam separados. Para completar a missão de Alex — e a sua própria —, Sage precisará contar com a ajuda de aliados inesperados para sobreviver em um território inimigo e salvar o reino de Demora mais uma vez.

Se vocês se lembram bem, eu finalizei o mês de julho com a leitura de “O Beijo Traiçoeiro” e não podia deixar de encaixar logo em seguida sua sequência, já que a autora estaria na Flipop desse ano. E gente, que história apaixonante! O segundo livro não consegue superar o primeiro, até por que é difícil se equiparar depois daquele plot twist INCRÍVEL, mas a história não perde o brilho, os conflitos são outros e mesmo que seja uma continuação, acaba sendo uma história completamente diferente. Gosto que aqui os personagens são ainda mais humanizados, os perigos são mais palpáveis e o protagonismo não tá salvando ninguém de se machucar. O livro acabou e eu só sabia implorar pra Editora Seguinte pelo 3º livro da trilogia!


2) “A Caçadora de Dragões” – Kristen Ciccarelli

Primeiro volume de uma trilogia fantástica, em que dragões e humanos estão em guerra — e cabe a uma garota matar todos eles.

Quando era criança, Asha, a filha do rei de Firgaard, era atormentada por sucessivos pesadelos. Para ajudá-la, a única solução que sua mãe encontrou foi lhe contar histórias antigas, que muitos temiam ser capazes de atrair dragões, os maiores inimigos do reino. Envolvida pelos contos, a pequena Asha acabou despertando Kozu, o mais feroz de todos os dragões, que queimou a cidade e matou milhares de pessoas — um peso que a garota ainda carrega nas costas. Agora, aos dezessete anos, ela se tornou uma caçadora de dragões temida por todos. Quando recebe de seu pai a missão de matar Kozu, Asha vê uma oportunidade de se redimir frente a seu povo. Mas a garota não vai conseguir concluir a tarefa sem antes descobrir a verdade sobre si mesma — e perceber que mesmo as pessoas destinadas à maldade podem mudar o próprio destino.

Outro livro que passei na frente das minhas leituras, já que a autora também estaria na Flipop, e vou dizer: NÃO ME ARREPENDO NEM UM POUQUINHO! Deus do céu! A Seguinte manda bem demais nos livros, NÃO PODE SER! Mesmo estranhando um pouquinho, já que vinha de uma leitura diferente, eu fui absolutamente sugada para o Universo da Trilogia Iskari! Fiz inclusive um post no Instagram pra resumir a paixão que foi ler esse livro (se quiserem ler uma resenha completa é só acessar o link), mas em resumo: amei todas as personagens femininas fortes, o romance delicado que se desenvolve em paralelo e não sufoca em nada o plot principal: uma intricada trama política, coroada por uma rede de intrigas. Foi tanta reviravolta nessa história que acabei nem vendo os plot twists me acertando! Vi bastante gente dizendo que demorou pra engrenar a leitura e que a coisa só andou a partir da metade do livro, mas “A Caçadora de Dragões” me prendeu do começo ao fim de forma surreal. LEIAM ESSE LIVRO, AINDA POR CIMA TEM DRAGÕES E É TOTALMENTE DIFERENTE DE TUDO O QUE VOCÊS JÁ VIRAM!


3) “A Rainha Aprisionada” – Kristen Ciccarelli

No segundo volume da trilogia Iskari, uma nova heroína entra em cena para lutar pela liberdade de seu povo ― e de sua irmã ― em meio a um conflito que apenas começou. Firgaard foi governada durante décadas por um rei tirano e manipulador, capaz de condenar povos inteiros apenas para aumentar seu poder.

Depois de uma grande batalha, Asha, sua filha, conseguiu derrotá-lo. E, assim, Dax, o primogênito, assumiu o poder ao lado de Roa, sua esposa. Roa é uma forasteira vinda das savanas ― um território sob o domínio de Firgaard, que há anos é oprimido e está prestes a entrar em colapso.

O maior desejo da nova rainha, mesmo sabendo que não é bem-vinda em seu novo lar, é mudar a vida de seu povo. O que ela não esperava era encontrar uma chance de alterar o curso do destino e trazer de volta à vida sua irmã gêmea, Essie, morta quando criança em um terrível acidente. O único obstáculo? O novo rei.

Quando terminei de ler o primeiro livro da Trilogia Iskari, mesmo todo mundo me dizendo que o segundo era ainda melhor, eu não acreditei que este superaria seu antecessor. Por que sério, O PRIMEIRO É BOM DEMAIS, como esse poderia ser MELHOR QUE AQUILO? Pois amigos, saibam, É POSSÍVEL! Tem uma resenha mais completa desse livro no mesmo link do Instagram, mas de novo, vou resumir aqui: essa é uma história completamente diferente da primeira, a protagonista é outra e a trama dela, mesmo sendo mágica e fantástica, passa longe do primeiro livro. Poderia ser mais um caso de love/hate, mas é melhor do que isso. É uma história de amor, em todas as suas formas, e sobre tudo que somos capazes de fazer em nome dele. Chorei bastante com a leitura, que me fez virar a noite de tão viciante, e, inclusive, chorei nos agradecimentos. Agora só me resta ficar aqui agonizando até o ultimo livro da trilogia ser lançado aqui no BR.


4) “Confidências de uma Ex-Popular” – Ray Tavares

Da autora de Os 12 Signos de Valentina. Mais de 4 milhões de leituras no Wattpad.

Beleza, poder, popularidade. O que mais uma garota pode querer? Renata acaba de ser expulsa de sua antiga escola. Perdeu seu status, seus amigos, seu namorado e sua antiga vida de privilégios. Agora, precisa recomeçar do zero, em um rígido internato católico.

Possessa e nada disposta a construir novos laços de amizade por conta das frustrações do passado, ela se vê, de repente, perdida. Sem largar sua essência, a garota se equilibra entre lidar com o desprezo constante dos alunos do colégio, recusar as investidas do presidente de um grupo misterioso e, nesse meio, administrar seu interesse por um aluno em particular.

Será que Renata vai conseguir superar seu passado e iniciar uma nova jornada mostrando uma nova versão de si mesma – ou insistirá em seus velhos erros?

Se vocês acompanharam os posts de leituras dos meses anteriores, puderam perceber que sou só um pouquinho obcecada pela Ray Tavares. Estive esperando o lançamento desse livro (que foi baseado em “Bola na Rede”, uma história que a autora lançou lá no Wattpad) loucamente, pra poder matar minha vontade de ler coisas que ela escreve. Assim que coloquei as minhas mãos nele, lá na Flipop, com direito à autógrafos e tietagem, comecei a ler. Foi tão empolgante que também fiz uma resenha completa lá no Instagram, que vocês podem ler aqui, mas, em resumo, é um livro juvenil, revigorante e inspirador, aquela leitura fácil e leve, mas recheada de questões sociais e políticas, com personagens super representativos e cativantes! É um daqueles livros completos: tem romance, tem mistério, tem esquema de corrupção, tem comédia (por que afinal de contas foi a Ray que escreveu e ela tem o melhor senso de humor do mundo), tem lições super importantes sobre família, amizade e amor em todas as suas formas. ENTÃO APENAS LEIAM E DEEM SUPORTE PRA NOSSA LITERATURA NACIONAL MARAVILHOSA!


5) “Amor em Manhattan” – Sarah Morgan

Um romance brilhante sobre três amigas que decidem abraçar a vida – e o amor – em Nova York. Calma, competente e organizada, Paige Walker adora um desafio. Depois de passar a infância em hospitais, ela quer mais do que tudo provar seu valor – e que lugar pode ser melhor para começar sua grande aventura do que Nova York? Mas quando ela perde seu emprego dos sonhos, Paige vai descobrir que o maior desafio será ser sua própria chefe! Só que abrir sua própria empresa de organização de eventos e concierge não é nada comparado a esconder sua paixonite por Jake Romano, o melhor amigo do seu irmão e o solteiro mais cobiçado de Manhattan. Mas quando Jake faz uma excelente proposta para a empresa de Paige, a química entre eles acaba se tornando incontrolável. Será que é possível convencer o homem que não confia em ninguém a apostar em um feliz para sempre? O primeiro livro da série para ‘Nova York, com amor’ traz um enredo empolgante e divertido, com personagens superando situações inusitadas em busca do seu final feliz.

Depois de ler romances fantásticos no começo do mês e engrenar um romance juvenil com questões bem importantes, quis dar aquela arejada na cabeça com um romance super clichê e acertei em cheio com esse livro, que é o primeiro de uma trilogia, cada um do ponto de vista de um membro de um grupo de amigas. O que gostei muito nessa história: o enfoque na amizade. Além do romance de fazer calcinhas caírem, o companheirismo da protagonista com suas duas melhores amigas é demais! As três são muito diferentes uma da outra, mas de um jeito muito incrível se completam. Morri de rir com os diálogos e me identifiquei um pouquinho com cada uma delas em diversas situações. Uma coisa que não gostei muito foi a escrita da autora: parecia muito com uma fórmula de bolo meio batida e todas aquelas descrições sobre como os mocinhos tinham mãos masculinas, e cheiro masculino, e voz masculina, enfim… mais tarde descobri que ela já tinha escrito milhões de livros publicados, então relevei esse ponto. A leitura flui que é uma beleza, e apesar do clichê e de sabermos como esse tipo de leitura termina, ainda é uma delicia de ler.


6) “Pôr do Sol no Central Park” – Sarah Morgan

Após o grande sucesso do livro Amor em Manhattan, Sarah Morgan retorna às livrarias brasileiras com este novo romance da série “Para Nova York, Com Amor”, que vai aquecer seu coração.

Frankie Cole e suas duas melhores amigas inauguraram um novo negócio em Manhattan que está sendo um sucesso. Frankie é designer e ama trabalhar com paisagismo de jardins suspensos nos telhados dos arranha-céus da cidade. Entre amizades verdadeiras e um trabalho gratificante, ela tem tudo para ser feliz. Frankie nunca deu muita atenção às relações românticas, sempre preferindo focar em si e no trabalho. Ela e Matt, irmão de sua melhor amiga, se conhecem há anos, mas nunca tiveram nada além de amizade. Até que ele descobre novas coisas sobre a mulher que pensou conhecer tão bem, e decide que não quer passar mais nenhum dia longe dela. Matt sabe que Frankie se mantém segura por trás de sua barreira emocional, mas fará de tudo para superar os bloqueios e conquistá-la.

O segundo livro da trilogia mantém o ritmo do primeiro, ainda me incomodou um pouco todas as características masculinas do mocinho, principalmente por que ele é o irmão da primeira protagonista e me vi com sentimentos conflitantes sobre ele. Mas gostei de verdade da personagem principal deste livro, todas as amigas são muito bem construídas e conseguimos ver isso nos livros, mas é diferente entrar dentro da cabeça dessas personagens e descobrir suas motivações a fundo. Tem algumas diferenças de ritmo deste para o primeiro, saindo um pouco do cenário onde as amigas se matavam para fazer o novo negócio decolar (já que era muito mais um plot da Paige) e indo explorar os fantasmas do passado da Frankie, o que nos leva à viagens para fora de Nova York e passeios no parque. Ainda não sei dizer de qual dos livros eu gostei mais, por que apesar das diferenças eles têm a mesma fórmula e a gente acaba sabendo de tudo o que vai acontecer, mas é um bom passatempo.


7) “Milagre na 5ª Avenida” – Sarah Morgan

O amor chega para todos ― seja sonhando com ele ou fugindo o máximo que pode. Após Amor em Manhattan e Pôr do Sol no Central Park, Sarah Morgan volta com outra história que vai fazer você suspirar.

Eva Jordan ama tudo que envolve o Natal. Romântica incurável, ela passará as festas sozinha esse ano, mas nada destrói sua fé inabalável no amor e nas coisas boas da vida. Quando ela tem a oportunidade de decorar a casa de um escritor rico e famoso na 5ª Avenida, aceita sem pensar duas vezes.

O que Eva não esperava, no entanto, é que a casa estaria ocupada por seu recluso ― e misterioso ― dono. Lucas Blade é especialista em escrever cenas aterrorizantes, mas é o Natal que está sendo seu maior pesadelo. Há poucas semanas do prazo final de entrega de seu próximo livro, ele ainda não tem uma história ― nem mesmo um personagem principal! Além disso, o aniversário da morte de sua esposa está chegando, o que o deixa imerso em uma névoa carregada de dor e luto. Eva vive em seu planeta particular e Lucas em um mundo de dor e desconfiança. O que a vida mostra a eles é que duas pessoas diferentes podem ter mais em comum do que imaginam ― incluindo uma atração inegável um pelo outro.

O terceiro e último livro me deixou um pouco confusa sobre se foi o que eu mais gostei ou o que eu menos gostei. Achei a história mais diferente nesse, mesmo sendo aquela coisa receita de bolo que citei sobre os anteriores, o cenário é diferente, o ritmo também. Em alguns momentos eu amava a mocinha, mas em outros eu queria espancar ela. Eva é muito boazinha, claro que ela tem falhas, mas ela suportou umas coisas que pelo amor de Deus. E eu não sei se compro essa coisa de escritor recluso super sarado. Aquela questão das descrições muito masculinas dos mocinhos seguiu me incomodando demais. Neste livro senti o plot que amava sobre a amizade meio apagado. Ao mesmo tempo teve um plot twist mais interessante que os anteriores. Então assim, fiquei confusa sobre gostar ou não, porém não é um livro que vá desafiar a inteligência de ninguém, é pra ler e se distrair mesmo, vale pra dar aquela refrescada nas ideias depois de uma leitura muito complexa.


8) “F*ck Love – Louco Amor” – Tarryn Fisher

Helena Conway se apaixonou. Contra sua vontade. Perdidamente. Mas não sem motivo.Kit Isley é o oposto dela desencanado, espontâneo, alguém diferente de todos os homens que conheceu. Ele parece o seu complemento. Poderia ser tão perfeito… se Kit não fosse o namorado da sua melhor amiga. Helena deve desafiar seu coração, fazer a coisa certa e pensar nos outros. Mas ela não o faz… Tentar se afastar da pessoa amada é como tentar se afogar. Você decide fugir da vida, pulando na água, mas vai contra a natureza não buscar o ar. Seu corpo clama por oxigênio sua mente insiste que você precisa de ar. Então você acaba subindo à superfície, arfando, incapaz de negar a si mesma essa necessidade básica de ar. De amor. De desejo ardente. Você pode pensar que já viu histórias parecidas, mas nunca tão genuínas como essa. Tarryn, a escritora apaixonada por personagens reais, heroínas imperfeitas, mais uma vez entrega algo forte, pulsante, que nos faz sofrer mas também nos vicia. Depois dela, todas as outras histórias começam a parecer como contos de fadas. Se você não quer se viciar, não leia a primeira página.

Eu só tenho uma coisa pra falar desse livro: PUTA MERDA QUE VIAGEM DA PORRA! Sério, só Deus sabe o que a Tarryn Fisher usou enquanto escrevia essa história. Essa sinopse faz parecer que o livro é um passeio no parquinho, quando na verdade é um chá de ayahuasca. Logo no primeiro capítulo você já fica “espera, mas o que…?”. Depois disso é só ladeira abaixo. Vou meter um spoiler aqui, por que preciso mesmo alertar as pessoas: GENTE, A PERSONAGEM TEM UM SONHO BIZARRO COM O NAMORADO DA MELHOR AMIGA E DAI FICA OBCECADA PELO CARA! Minha filha, você é uma amiga filha da puta. Não consegui em nenhum momento compreender e ficar do lado da protagonista. Não consegui torcer por ela. Não consegui shippar ela com o cara. Em muitos momentos torci pela morte dos dois. Rolaram umas viagens muito loucas no meio da história, um novelão mexicano, uma salada toda estranha, não sei explicar… a parte boa é que o livro só é grosso por causa do tipo de papel usado na impressão e tudo acaba em menos de 300 páginas. UFA!


9) “Imperfeitos” – Lauren Layne

Será que Michael conseguirá encontrar um final feliz depois de ser rejeitado por Olivia? Uma comédia romântica surpreendente sobre como recomeços podem ser a cura para um coração partido.

Quantas vezes um mesmo coração aguenta ser despedaçado? Essa é a pergunta que atormenta Michael St. Claire, o ex-bon vivant que, após ser rejeitado por Olivia e abandonado pelo melhor amigo, deixa o glamour nova-iorquino para trás e vai trabalhar num clube de tênis numa cidadezinha no Texas. Há um motivo secreto por trás dessa escolha geográfica: é lá que se encontram seu pai biológico e seu meio-irmão, Devon, que não fazem ideia de sua existência. O que o plano de Michael não previa era conhecer Chloe, a garota mais inteligente, sarcástica e original que ele já vira. Em pouco tempo, eles se tornam grandes amigos, e quando Michael descobre que Chloe é apaixonada por Devon ele resolve que irá ajudá-la. Mas será que dois corações rejeitados conseguem, juntos, construir um recomeço? Ou irão apenas se machucar, perdidos na eterna busca por aceitação e pertencimento?

Eu tava enlouquecida pra ler esse livro desde que li os dois primeiros: “Em Pedaços” e “Como num Filme”. Odeio muito ler séries/trilogias que ainda não foram lançadas completamente no Brasil, por que daí fico doida aqui esperando os livros saírem. Mas enfim, eu amo os livros da Lauren Layne, são clichês e tal, mas são tão incríveis! Tem resenha aqui no blog de “Mais que Amigos”, que foi o primeiro livro dela que eu li e falei sobre isso: a escrita é descontraída, rápida e enxuta, a autora não perde tempo com nada que não seja necessário para a história se desenvolver, SEM ENCHEÇÃO DE LINGUIÇA, mas mesmo assim consegue fazer a gente se conectar com os personagens de uma forma surreal. Me vi torcendo por eles, rindo com eles, chorando com eles e gritando com eles. Dos três livros (tenho certeza que falei deles aqui no blog em algum dos posts de leitura do mês) essa é a protagonista que mais gostei! Chloe não é a mocinha padrão e eu amei como a história dela foi desenvolvida. Fiquei com um pouco de raivinha do Michael no final, por que detesto o empecilho de “eu não mereço ela e por isso não vamos ficar juntos”, mas daí algum defeito esse livro precisava ter. Vale a pena gente, graças a Deus esse livro foi bom e delicioso e cumpriu seus propósitos de romance água com açúcar, com um quê de comédia, ideal para ser lido em um dia frio depois da bomba ali de cima.


10) “The Chase – A Busca de Summer e Fitz” – Elle Kennedy

Bem-vinda de volta aos jogos de hóquei e às festas da Universidade Briar! No primeiro spin-off da série Amores Improváveis, conheça a apaixonante e misteriosa Summer, irmã de Dean.

Todo mundo diz que os opostos se atraem. E deve ser verdade, porque não tem nada que explique minha atração por Colin Fitzgerald. Ele não faz meu tipo e, o pior de tudo, me acha superficial. Essa visão distorcida que ele tem de mim é o primeiro ponto contra. Também não ajuda que ele seja amigo do meu irmão.

E que o cara que mora com ele tenha uma queda por mim.
E que eu tenha acabado de me mudar para a casa deles.

Mas isso não importa. Estou ocupada o bastante com uma faculdade nova, um professor que não larga do meu pé e um futuro incerto. Além do mais, Fitzy deixou bem claro que não quer nada comigo, embora tenhamos uma química de dar inveja a qualquer casal. Nunca fui de correr atrás de homem, e não vou começar agora. Então, se o meu roommate gato finalmente acordar e perceber o que está perdendo…
Ele sabe onde me encontrar.

Bom, eu não queria mais errar com livro clichê (ainda traumatizada com a bomba que foi o nº8 dessa lista), então resolvi que era hora de ler o spin-off da série “Amores Improváveis”, da Elle Kennedy, pois sou totalmente obcecada por ela e NÃO TINHA COMO “BRIAR U” SER RUIM! E gente, que delicia! Que saudades que eu tava desses romances deliciosos com jogadores de hóquei super gostosos! Amei muito essa leitura, inclusive finalizei em um dia, a escrita da Elle é completamente viciante, a Summer é uma personagem super humana e maravilhosa, que a gente só viu de relance em “Amores Improváveis” e que tem uma profundidade intensa! Adorei como ela foi construída, super forte apesar dos esteriótipos, vulnerável de um jeito inteligente e super feminista! Destaquei vários discursos dela cheios de sororidade que se encaixavam perfeitamente nas situações, sem soarem forçados. Também adorei a construção do Fitz, ele é um idiota, mas não é por mal, o personagem claramente é um nerd que não sabe como agir e não sabe o que fazer na maior parte do tempo. Quis bater na cabeça dele em muitos momentos, mas as burradas dele o fizeram completamente real. E gente, o que são as cenas eróticas desse livro? Elle Kennedy sabe escrever uma cena de sexo como ninguém, PELO AMOR DE DEUS, ler esse livro no transporte público foi um desafio. Enfim, leitura mais do que recomendada, livro com ZERO DEFEITOS!


11) “The Risk: O Dilema de Brenna e Jake” – Elle Kennedy

Todo mundo diz que eu sou uma garota má. Deve ser porque faço o que bem entendo e não estou nem aí para o que os outros pensam de mim. Apesar disso, dormir com o inimigo não faz meu tipo. Como filha do técnico de hóquei da Briar, minha vida estaria arruinada se eu me relacionasse com um jogador de um time rival.

E essa é a definição de Jake Connelly. Estrela e capitão do time de Harvard, ele é arrogante, irritante e atraente demais pra ser verdade. E o pior é que eu preciso que ele tope fingir ser meu namorado para que eu consiga meu tão sonhado estágio na HockeyNet. Mas é claro que aquele gostoso idiota não vai facilitar: para cada encontro falso… ele quer um pra valer.

O que significa que estou em apuros. Isso de ficar saindo às escondidas com Jake Connelly não tem como dar certo. Embora esteja cada vez mais difícil resistir ao desejo e ao sorriso de Jake, me recuso a me apaixonar por ele.

Esse é o único risco que eu não vou correr.

Segundo livro do spin-off “Briar U” conta a história de Brenna, a melhor amiga de Summer, ali do “The Chase”. Eu acho que fui com muita sede ao pote com esse livro. Estava esperando algo na mesma linha do primeiro, mas não foi tão apaixonante. Obviamente o livro é ótimo, as cenas eróticas são de fazer a gente ficar ofegante lendo, mas não senti muita profundidade no Jake. E também não gostei muito da Brenna e dos dilemas dela. Claro que tiveram algumas revelações sobre o passado dela mais pro final que fazem total sentido nas ações da personagem, mas mesmo assim não consegui me identificar com ela o tanto que me identifiquei com a Summer, por exemplo. E, como sempre digo, esse é o problema com as expectativas: a gente sempre quebra a cara. Tenho certeza que eu teria achado o livro perfeito se não tivesse lido “The Chase” primeiro. Mas de todo jeito a história é muito bem orquestrada, adoro a relação dos personagens desse Universo, adoro as interações entre eles, os diálogos, é tudo muito verdadeiro e deixa a gente com vontade de virar amigo deles. Fora as cenas de sexo, eu já falei delas? Enfim, vale a leitura com certeza. Fico agora no aguardo do terceiro livro, “The Play”, que tem lançamento previsto pra outubro deste ano lá nos States. Vamos orar pra Paralela lançar logo por aqui!


Ufaaaa, acabou!

Ainda não bati o recorde de leituras por mês no ano, a coroa ainda é do mês de fevereiro, com 12 livros lidos, mas gente, eu cheguei muito perto em agosto! Finalmente voltei ao meu ritmo insano de leitura, aquele que perdi durante as férias e a sensação é maravilhosa.

Estou trabalhando firmemente pra bater o recorde agora em setembro, já adianto que nessa primeira semana consegui finalizei a leitura de 7 títulos 😀 então esperam um post bem recheado no mês que vem!

Agora me contem aqui nos comentários o que vocês andam lendo 😉

Anúncios

Cuidado com o Golpe no Mercado Livre

Eu Mesma

Neste final de semana resolvi fazer um anúncio no Mercado Livre pra vender meu antigo celular. Escolhi o site com uma falsa ilusão de segurança, já que eles utilizam como meio de pagamento o MercadoPago, que permite que os vendedores e os compradores tenham mais segurança e garantia na hora de comprar e vender produtos.

E teoricamente esse meio de pagamento é realmente super seguro. Porém, como bandido sempre dá um jeito, eis que estão se utilizando do seu e-mail, e até do seu número de WhatsApp, para enviar falsos comprovantes de pagamento, alegando terem efetuado a compra dentro da plataforma do Mercado Livre.

Importante salientar aqui que o Mercado Livre não tem nada a ver com isso. A plataforma deles é SIM segura, porém aquela pessoa que nunca vendeu nada por lá, o famoso marinheiro de primeira viagem, que não conhece bem o processo de como as coisas são feitas, acaba se tornando um alvo bem fácil na mão dos malfeitores.

Vou contar pra vocês a experiência bizarra que tive nesse fim de semana. Não querendo fazer escarcéu nem nada, mas só pra contar para as pessoas que isto está acontecendo, já que muitas podem não ter a mesma sorte de perceber o golpe. Então esse post é mais um alerta, pra blindar quem quer que seja contra esse golpe.

Bom gente, como disse no começo do texto, fiz um anúncio para tentar vender meu celular no Mercado Livre (inclusive quem tiver interesse, o link é esse :D), imaginando ser mais seguro e ainda ter a opção de parcelar no cartão de crédito. Era sábado à noite, então qual não foi a minha surpresa quando, meia hora após publicar o anúncio, recebi um e-mail de “PARABÉNS, VOCÊ VENDEU!”.

Na hora nem deu tempo de suspeitar da veracidade daquilo, já que, convenhamos, as coisas não estão nada fáceis ultimamente e ninguém ta comprando nada de ninguém, ainda mais assim tão rápido. Mas naquele momento eu fiquei tão feliz de ter conseguido vender o celular que só sai pulando pela casa e organizando uma caixa com todos os itens que anunciei.

GENTE, OLHA QUE PERIGO! Eu nem pensei muito, tava pronta pra basicamente entregar meu celular pros bandidos! Vou colar aqui a imagem do e-mail que recebi, nessa imagem vou destacar o destinatário, que é o melhor jeito de você perceber que trata-se de UM GOLPE.

O primeiro alerta é esse endereço de e-mail. O e-mail oficial do Mercado Livre é “@mercadolivre.com.br“, percebam que esse termina com “@mercadolivreBR.ORG“. Mas, à primeira vista, quem vai olhar endereço de e-mail quando aparece na sua caixa de entrada bem grande MERCADO LIVRE? Além disso, os e-mails são esteticamente profissionais, com todos os dados que você puder imaginar, bem configurados, tem cara de COISA OFICIAL.

O segundo alerta, foi algo que apareceu logo abaixo das informações de pagamento. A retirada do produto seria feita via Uber. Eles pagariam um carro pra ir até a minha casa e retirar o meu produto. Pessoal, NÃO EXISTE parceria do Mercado Livre com a Uber para envio/entrega de produtos. As entregas e envio são feitas pelo correio, ou em mãos, se você tiver deixado essa opção ativa, coisa que eu não deixei.

O terceiro alerta foi que, nas instruções no final do e-mail, eles pedem para que você pause o seu anúncio. NÃO PAUSEM OS SEUS ANÚNCIOS. Assim que você fizer isso ele vai “sair do ar”. Isso me deixou com a pulga atrás da orelha, pois se o anúncio não estava mais no ar, como é que eu ia visualizar as informações de pagamento dentro da plataforma do Mercado Livre?

Pior de tudo, dentro do Mercado Livre, lá no seu anúncio, a tal pessoa te manda diversas mensagens pedindo para que você verifique no seu e-mail se chegou o comprovante de pagamento. Pedindo para que você pause o seu anúncio, no maior desespero, sem nenhuma educação ou respeito pelas regras básicas de gramática do nosso português.

Infelizmente vou ficar devendo esses prints pra vocês, pois quando não caí no golpe, essas perguntas foram misteriosamente apagadas do meu anúncio.

A coisa toda não para por ai. Você ainda vai receber mais um e-mail, pedindo que passe seus dados bancários, Banco, Conta Corrente, Agência, CPF. Nem preciso dizer pra você não dividir essas informações, né?

Foi só quando recebi esse e-mail que comecei a desconfiar. E não foi por que estavam pedindo os meus dados bancários, mas sim por que estava aparecendo um outro nome de comprador. E então notei o endereço de e-mail:

O servidor de e-mail era totalmente diferente do primeiro.

Como fiquei com a pulga atrás da orelha, já fui pesquisar no Google sobre como era o processo de compra e venda no Mercado Livre. Infelizmente não achei nenhum passo-a-passo de como isso funcionaria na prática, daí resolvi procurar sobre golpes. E foi quando encontrei essa matéria do TechTudo e TIVE CERTEZA.

Então sim, amigos. Haviam duas pessoas tentando me dar um golpe e roubar meu celular. E se não fosse por isso, por esse segundo comprador, se eu tivesse pausado o meu anúncio depois do primeiro e-mail, provavelmente eu não teria descoberto que era um golpe, por que não teria recebido esse segundo, que me fez ficar bem alerta. Eles te pedem pra pausar o anúncio justamente para que não apareça outra pessoa para “comprar” o seu produto.

Eu ainda recebi a mensagem acima no meu celular, mas não me dignei a responder. Percebam que esse número ainda está ativo, e provavelmente dando golpes por ai em outras pessoas. Eles vão tentar entrar em contato com você por e-mail e por celular, pedir para pausar anúncio, enviar seu endereço e seus dados para que possam buscar os seus produtos com Uber.

Gente, sob nenhuma circunstância negocie qualquer produto que vocês anunciaram no Mercado Livre pelo seu e-mail ou WhatsApp. Qualquer negociação deve ser feita pela plataforma. Não acredite em nenhum comprovante de pagamento que enviem pro e-mail de vocês. É preciso que essa informação de venda apareça no próprio site do Mercado Livre, se não aparecer nada na plataforma então É GOLPE.

No domingo ainda recebi uma terceira tentativa de golpe, com outro nome de comprador e outro endereço de e-mail, esse tão porco que o servidor é o do Gmail:

Então assim, está acontecendo e com uma frequência absurda. Por isso fiquem espertos e alertem as outras pessoas. Eu não sei se existe alguma medida legal que a gente possa tomar quanto a esses golpistas. Se existe uma forma de rastrear os e-mails ou mensagens, ou mesmo se isso está previsto dentro da lei.

Mas o que podemos fazer com certeza é alertar o maior número de pessoas possível para que não caiam nesse golpe.

Se vocês tiverem qualquer dúvida ou pergunta sobre essa cachorrada toda que quase aconteceu comigo, os comentários deste post estão abertos e eu vou responder todos com o maior prazer 😀

Estreias da Semana (08/08/2019)

Cinema, Nas Telonas

Quinta-feira é dia de virada na programação dos cinemas brasileiros e também das estreias de novos filmes em território nacional. E essa semana está recheada de lançamentos, com filme pra todos os gostos:


Meu Amigo Enzo

Lançamento: 8 de agosto de 2019
Duração: 1h 49min
Gênero: Drama
Direção: Simon Curtis

Denny Swift (Milo Ventimiglia) é um piloto de corridas arrojado, com um talento especial para dirigir sob chuva. Um dia, ao ir para o trabalho, encontra um filhote de cachorro que decide adotar. Ele ganha o nome de Enzo, em homenagem ao criador da Ferrari, e passa a acompanhá-lo em todo lugar que vá, ganhando um apreço especial pela adrenalina das corridas, seja ao assisti-las ao vivo ou pela televisão. Com o passar dos anos, a amizade entre Denny e Enzo sofre profundas mudanças quando o piloto conhece, e se apaixona, por Eve (Amanda Seyfried).


Histórias Assustadoras para Contar no Escuro

Lançamento: 8 de agosto de 2019
Duração: 1h 51min
Gênero: Terror
Direção: André Øvredal

A cidade de Mill Valley é assombrada há décadas pelos mistérios envolvendo o casarão da família Bellows. Em 1968, a jovem Sarah (Kathleen Pollard), uma garota problemática que mantinha um relacionamento ruim com os pais, foi ao porão para escrever um livro repleto de histórias macabras. Décadas mais tarde, um grupo de adolescentes descobre o livro e passa a investigar o passado de Sarah. No entanto, as histórias do livro começam a se tornar reais.


Voando Alto

Lançamento: 8 de agosto de 2019
Duração: 1h 30min
Gênero: Animação, Família, Aventura
Direção: Andrea Block, Christian Haas

O pequeno Manou passou sua vida inteira acreditando que era uma gaivota, quando na realidade ele é filho de um casal de andorinhas. Enquanto tenta aprender a voar, ele percebe que nunca será capaz de alçar grandes voos e foge de casa. Mas quando os animais correm perigo de vida devido a uma nova ameaça, só ele será capaz de salvar o dia.


Simonal

Lançamento: 8 de agosto de 2019
Duração: 1h 45min
Gênero: Drama, Biografia, Musical
Direção: Leonardo Domingues

Dono de voz marcante, carisma encantador e charme irresistível, Wilson Simonal (Fabrício Boliveira) nasceu para ser uma das maiores vozes de todos os tempos da música brasileira. No entanto, após anos de sucesso conquistado com muito trabalho, suas finanças descontroladas o levam a, num rompante de ignorância, tomar decisões que marcarão para sempre sua carreira.


Rainhas do Crime

Lançamento: 8 de agosto de 2019
Duração: 1h 42min
Gênero: Drama, Policial, Suspense
Direção: Andrea Berloff

Nova York, janeiro de 1978. Kathy (Melissa McCarthy), Ruby (Tiffany Haddish) e Claire (Elisabeth Moss) são casadas com mafiosos irlandeses, que comandam os negócios em Hell’s Kitchen. Quando eles são presos pela polícia, o trio fica a mercê de Little Jackie (Myk Watford), o novo chefão local, que se recusa a lhes dar o dinheiro necessário para seu sustento. Com isso, Kathy, Ruby e Claire decidem unir forças para criar sua própria “família”, oferecendo apoio e proteção a pequenos comerciantes locais. Com o tempo, o poder das mulheres cresce ao ponto não só de incomodar Little Jackie, mas também chamar a atenção da máfia italiana.


Não Mexa com Ela

Lançamento: 8 de agosto de 2019
Duração: 1h 32min
Gênero: Drama
Direção: Michal Aviad

Orna (Liron Ben Shlush) é mãe de três filhos pequenos e está passando por dificuldades financeiras, com o restaurante do seu marido quase sem dar lucro. Quando ela consegue um emprego de assistente em uma luxuosa imobiliária, parece que sua sorte vai mudar, mas conforme ela cresce dentro da empresa ela se torna alvo de assédio de seu chefe, Benny (Menashe Noy), que efetua desde comentários sobre sua roupa e cabelo até agressivas sugestões.


O Amigo do Rei

Lançamento: 8 de agosto de 2019
Duração: 2h 22min
Gênero: Documentário
Direção: André D’Elia

Misturando-se entre o documental e o ficcional, o maior crime ambiental da história do Brasil é explorado através de suas mais variadas perspectivas. Tratando do rompimento da barragem da Samarco, em Mariana, Minas Gerais, o deputado federal Rey Naldo (Luciano Chirolli) mostra ao Congresso Nacional como a política e a mineração se relacionam de maneira íntima.


Mulheres Armadas, Homens na Lata

Lançamento: 8 de agosto de 2019
Duração: 1h 28min
Gênero: Comédia
Direção: Allan Mauduit

Sem trabalho ou diploma, Sandra, ex-Miss Pas-de-Calais, volta a morar com a mãe no sul da França, depois de 15 anos na Côte d’Azur. Contratada na fábrica de conservas local, ela rejeita constantemente o assédio sexual de seu chefe e acaba matando-o acidentalmente quando tenta se defender. A primeira reação de Sandra e suas amigas da empresa, que presenciam o crime, é chamar socorro. Quando elas descobrem uma mala cheia de dinheiro no armário do homem morto, o jogo muda e elas decidem ficar com a fortuna a qualquer preço.


Leste Oeste

Lançamento: 8 de agosto de 2019
Duração: 1h 26min
Gênero: Drama
Direção: Rodrigo Grota

Ezequiel (Felipe Kannenberg) é um ex-piloto que vive há 15 anos longe de sua cidade natal. Depois de todo esse tempo, ele decide voltar para disputar sua última corrida. Lá ele vai ter que enfrentar alguns personagens de seu passado, como seu antigo affair, Stela (Simone Iliescu), e também Ângelo (José Maschio), o patriarca da família. Ele também vai cruzar com Pedro (Bruno Silva), um jovem de 16 anos que sonha em pilotar.


Rafiki

Lançamento: 8 de agosto de 2019
Duração: 1h 22min
Gênero: Drama
Direção: Wanuri Kahiu

Kena (Samantha Mugatsia) e Ziki (Sheila Munyiva) são grandes amigas e, embora suas famílias sejam rivais políticas, as duas continuaram juntas ao longo dos anos, apoiando uma a outra na batalha pela conquistas de seus sonhos. A relação de amizade transforma-se em um romance que passa a afetar a rotina da comunidade conservadora em que vivem. As jovens terão que escolher entre experienciar o amor que partilham, ou se distanciar em função de uma vida segura.


Vermelho Sol

Lançamento: 8 de agosto de 2019
Duração: 1h 49min
Gênero: Suspense, Drama
Direção: Benjamín Naishtat

Claudio é um advogado de meia idade que vive uma vida calma e confortável com sua esposa em uma pequena cidade da Argentina da década de 1970. Quando um detetive particular aparece na sua cidade determinado em localizar um estranho com quem ele brigou meses atrás em um restaurante, seu mundo é virado de cabeça para baixo.


My Hero Academia – Dois Heróis

Lançamento: 8 de agosto de 2019
Duração: 1h 36min
Gênero: Animação, Ação, Aventura
Direção: Kenji Nagasaki

Deku e All Might são convidados para a principal exposição mundial de habilidades de Quirk e inovações tecnológicas de heróis: a I-Expo. Lá, Deku conhece Melissa, uma garota que é Quirkless assim como ele já foi. Tudo ia bem, quando o sistema de segurança do evento é hackeado por vilões e a sociedade, ameaçada.


Retrato do Amor

Lançamento: 8 de agosto de 2019
Duração: 1h 49min
Gênero: Romance, Drama
Direção: Ritesh Batra

Pressionado por sua família a se casar o mais rápido possível, um determinado fotógrafo de Mumbai convence uma tímida estranha a fingir ser a sua noiva durante a visita da avó. Apesar da relutância, ela aceita a proposta e os dois desenvolvem um laço totalmente inesperado.


Fourteen

Lançamento: 8 de agosto de 2019
Duração: 1h 34min
Gênero: Drama
Direção: Dan Sallitt

Durante o curso de uma década, uma jovem moça torna-se cada vez mais debilitada e disfuncional devido a uma doença mental impossível de ser diagnosticada com clareza. Enquanto as pessoas mais distantes desconfiam que o problema tenha outras raízes, seus amigos mais próximos e familiares procuram as melhores formas para ajudá-la sem danificar seu cotidiano.


E aí, pessoal? O que pretendem ver nos cinemas essa semana?

Me contem aqui nos comentários 😉

[2019] Leituras de Julho

Literatura

Um minuto de silêncio por esse post maravilhoso que marca o momento da minha volta aos trilhos na questão literatura. Finalmente, depois das férias e de todo o resto, sinto que consegui voltar ao meu ritmo de leitura normal.

Pelo menos uma coisa tinha que voltar pros trilhos nessa minha vida, não é mesmo?

Então que seja a melhor parte: a literária!

É com muito orgulho que apresento à vocês a listinha de livros lidos no mês de julho, acompanhados por um resuminho das minhas impressões de cada leitura:


1 . “Cinco” – Larissa Siriani

Jade e Lavínia estão juntas há cinco anos. Cinco anos de amor, de companheirismo, de cumplicidade – mas também cinco anos de brigas, de dificuldades, de enfrentamentos. E é no dia mais importante de suas vidas que todas as lembranças dos últimos cinco anos voltam com força total.

Caramba, eu adorei esse conto! Amei cada pedacinho dele, desde a forma como a história foi contada, até a construção de cada personagem. Em apenas 40 páginas a Larissa Siriani conseguiu me emocionar e até mesmo me arrancar algumas lágrimas. Vocês podem ler essa história de graça pelo Kindle Unlimited ou adquiri-la pela bagatela de R$ 2,99, na Amazon. E gente, eu garanto, vale muito a pena!


2. “Torre do Alvorecer” – Sarah J. Maas

No novo volume da série best-seller do The New York Times acompanhamos Chaol em uma tortuosa viagem a um império distante. 

Chaol Westfall sempre se definiu por sua lealdade inquebrável, sua força e sua posição como capitão da Guarda. Mas tudo mudou desde que o Castelo de Vidro se quebrou, seus homens foram abatidos e o rei de Adarlan o poupou de um golpe de morte, mas deixou seu corpo quebrado. Sua única chance de recuperação reside nos lendários curandeiros da Torre Cesme em Antica ― a fortaleza do poderoso império do continente do sul.

E é para lá que ruma Chaol, acompanhado de Nesryn, única mulher na Guarda Real e sua nova capitã, depois de Chaol ter sido nomeado Mão do Rei. Mas com a guerra se aproximando de Dorian e com Aelin lutando por seu trono de direito, Chaol pode ser uma peça-chave para a sobrevivência dos dois jovens monarcas, convencendo outros governantes a se aliarem a eles.

O que Chaol e Nesryn descobrem na Antica, no entanto, vai mudar os dois ― e ser mais vital para salvar Erilea do que eles poderiam ter imaginado.

Olha gente, eu preciso confessar que o Chaol era o personagem que eu mais detestava na série do Trono de Vidro e a perspectiva de ler um livro focado nele fez com que eu atrasasse a leitura desse livro o máximo possível. Porém, com o lançamento do último volume da saga, me vi forçada a encarar o que eu achava que seria um verdadeiro calvário. Como eu me enganei. Achei que sentiria uma falta terrível dos meus personagens favoritos, mas mal me lembrei da existência deles quando fui apresentada à novos, e à toda uma nova cultura. Devorei as quase 700 páginas desse romance em tempo recorde! Não tem jeito, Sarah J. Maas arrasa sempre, e é impossível não ficar completamente viciada na escrita apaixonante dela!


3. “Reino de Cinzas” – Sarah J. Maas

A conclusão épica e inesquecível da série Trono de Vidro.

Trancada em um caixão de ferro, Aelin luta para permanecer forte e resistir às torturas de Maeve, pois sabe que a sobrevivência de seu povo depende disso. Mas a cada dia que passa, parece mais difícil manter a determinação. Em Terrasen, Aedion, Lysandra e seus aliados se esforçam para conter a ameaça iminente, porém a força dessa aliança pode não ser o suficiente para barrar as hordas de Erawan e proteger Terrasen da destruição total. Enquanto isso, do outro lado do oceano, Rowan não irá desistir de encontrar seu amor, sua parceira, sua rainha.

À medida que os fios do destino se entrelaçam no explosivo final da série Trono de Vidro, todos devem lutar se quiserem uma chance de sobreviver.

Eu não tenho nem o que dizer desse livro. Quase mil páginas lidas em 2 dias. Ele foi tudo o que eu esperei e mais um pouco. Expectativas totalmente atendidas. Nunca uma conclusão foi tão épica e esteve tão à altura de toda a série. Confesso que até esperava mais mortes, mas não vou reclamar do rumo que as coisas tomaram, como todos os plots e personagens tiveram resoluções à altura, como tudo se encaixou perfeitamente no final. Vibrei, me emocionei, chorei e me diverti! Esse é um livro completo, minha gente. Aliás, toda a saga do Trono de Vidro merece o Tocantins inteiro, por que palmas não são suficientes. Nunca vi um misto de aventura, romance e magia tão bem orquestrado quanto esse, onde cada livro é melhor que o anterior. Sinceramente não sei como a Sarah J. Maas consegue, alguém devia dar um prêmio pra essa mulher, apenas.


4. “Malícias & Delícias” – Tara Sivec

CUIDADO: Esta história de amor pode matar você de tanto rir. Ah, e está escandalosamente lotada de porres homéricos e, hummm, sexo da melhor qualidade!

Claire é uma espirituosa jovem de vinte e poucos anos que trabalha num bar (não era esse o plano, mas…) e, muito a contragosto, resolveu ajudar a melhor amiga (uma expert em malícias) a vender brinquedos eróticos bem safadinhos. Na verdade, seu sonho é viver de delícias, ou melhor, abrir uma confeitaria dedicada exclusivamente a doces, cookies e bolos feitos com muuuito chocolate. Quando Carter, um rapaz que conheceu numa festa de faculdade e com quem passou uma única noite (o suficiente para mudar sua vida para sempre!), reaparece na cidade sem demonstrar reconhecê-la, a não ser pelo profundo aroma de chocolate que Claire exala no ar, ela se mostra determinada – aaaai que loucura! – a fazê-lo nunca mais se esquecer dela. Só que existe uma terceira pessoa na relação (divertidíssimo, porém desbocado e inconveniente). Alguém que Carter desconhece e que, das duas uma: ou o obrigará a comprar uma passagem só de ida para o Polo Norte ou o fará o homem mais feliz do mundo!!!

Depois de mais de 1.500 páginas de um romance épico, cercada por batalhas e cabeças rolando, tudo o que eu precisava era um romance engraçadinho e despretensioso. Não se deixem assustar por essa capa horrorosa, que eu nunca teria coragem de expor em público (Kindle Unlimited novamente salvando vidas aqui), essa história é divertida e gostosa ao extremo, com um romance super gostoso, de fazer o coração bater mais rápido e te fazer suspirar. Apesar da boneca inflável na capa, já li livros muito mais eróticos. Inclusive não achei, em momento nenhum, cena alguma desnecessária. A escritora escreve com muita consciência, desenvolve muito bem seus personagens e as situações pela qual eles passam. Achei tudo bem crível, sem lenga-lenga e, de novo, estupidamente divertido. Vale a leitura, amigos, principalmente se você estava, assim como eu, saindo de uma ressaca literária terrível.


5. “A Pequena Livraria dos Corações Solitários” – Annie Darling

Era uma vez uma pequena livraria em Londres, onde Posy Morland passou a vida perdida entre as páginas de seus romances favoritos. Assim, quando Lavinia, a excêntrica dona da Bookends, morre e deixa a loja para Posy, ela se vê obrigada a colocar os livros de lado e encarar o mundo real. Porque Posy não herdou apenas um negócio quase falido, mas também a atenção indesejada do neto de Lavinia, Sebastian, conhecido como o homem mais grosseiro de Londres. Posy tem um plano astucioso e seis meses para transformar a Bookends na livraria dos seus sonhos — isso se Sebastian deixá-la em paz para trabalhar. Enquanto Posy e os amigos lutam para salvar sua amada livraria, ela se envolve em uma batalha com Sebastian, com quem começou a ter fantasias um tanto ardentes. Resta saber se, como as heroínas de seus romances favoritos, Posy vai conseguir o seu “felizes para sempre”. O primeiro livro da série A Livraria dos Corações Solitários!

Seguindo a linha romances levinhos, resolvi pegar um mais bonitinho dessa vez. No começo estranhei muito, principalmente por que tinha acabado de finalizar um livro meio desbocado, com uma escrita leve e despreocupada. Mas com o passar das páginas fui pegando o ritmo e me apaixonei por essa história e pelos personagens. A autora escreve tão bem que consegue fazer com que tenhamos as mesmas emoções de sua protagonista. No começo não via como eu ia gostar do mocinho, mas com o passar dos capítulos comecei a nutrir a mesma obsessão que a personagem principal. Este livro é doce, leve e instigante, ao mesmo tempo que é muito bem escrito, te faz torcer pelos personagens e rir e se emocionar junto com eles.


6. “Amor Verdadeiro Na Livraria dos Corações Solitários” – Annie Darling

Este é mais um romance delicioso da série A Livraria dos Corações Solitários, sobre a vida dos funcionários da livraria, um “alegre bando de desajustados”, que por uma razão ou outra desistiram do amor e, ainda assim, o encontram quando menos esperam. É uma verdade universalmente conhecida que uma mulher solteira, em posse de um bom emprego, quatro irmãs mandonas e um gato carente, deve estar em busca do seu verdadeiro amor. Será? Verity Love — fã de carteirinha de Jane Austen e uma introvertida em um mundo de extrovertidos — está perfeitamente feliz sozinha, muito obrigada. E seu namorado fictício, Peter Hardy, é muito útil para ajudá-la a escapar de eventos sociais indesejados. Mas, quando um mal-entendido a obriga a apresentar um total estranho como namorado para suas amigas, a vida de Verity de repente se torna muito mais complicada. Uma namorada fictícia também pode ser bem útil para Johnny. Indo contra todos os instintos de Verity, ela se deixa convencer a fazer uma parceria com ele para um único verão recheado de casamentos, aniversários e festas no jardim, com apenas uma promessa: não se apaixonarem um pelo outro. Mas isso não tem nem chance de acontecer, pois Verity jurou nunca mais ter um namorado, e o coração de Johnny já tem dona…

Eu não achava que fosse possível, mas esse segundo livro é ainda melhor que o primeiro. Apesar de seguir com a mesma escrita leve e ter todos os elementos do primeiro volume, este é totalmente diferente do anterior! Além de sair mais do ambiente da livraria, já que este romance é cheio de festas e viagens, temos uma protagonista completamente diferente daquela do primeiro livro, e eu não esperava que fosse gostar tanto dela e de tudo que diz respeito a ela como gostei. Mais uma vez tive aquela sensação de que jamais iria me apaixonar pelo mocinho e lá fui eu novamente, junto com a personagem principal, descobrindo sentimentos controversos pelo meio do caminho. Depois de apenas dois livros já me considero fã da autora que escreve romances com maestria e consegue despertar diversos sentimentos dentro da gente!


7. “Loucamente Apaixonada Na Livraria dos Corações Solitários” – Annie Darling

Novo romance da série A Livraria dos Corações Solitários, sobre a vida dos funcionários da livraria que por uma razão ou outra desistiram do amor e, ainda assim, o encontram quando menos esperam. 

Cheia de tatuagens e com o cabelo cor-de-rosa, a dublê de pinup Nina adora bad boys — quanto mais cara de mau, melhor. Apesar dos receios de seus amigos, ela acredita firmemente que o amor verdadeiro só tem uma forma: selvagem, intenso e pontuado por brigas tempestuosas — como na história de Heathcliff e Cathy, o casal angustiado de O Morro dos Ventos Uivantes. E ela não vai se contentar com nada menos que isso. Mas anos de encontros marcados por aplicativo não trouxeram nada além de caras esquisitos e paqueras banais, e Nina não está nem um pouco mais perto de encontrar o amor.

Quando um homem de seu passado entra na livraria, Nina sabe que não tem nada a temer: o garoto mais nerd da escola se tornou um analista de negócios tedioso que combina o terno com a gravata, sem chance de fazer seu coração bater mais rápido. O que só mostra quão pouco Nina sabe sobre bad boys, analistas de negócios e o próprio coração.

Este é mais um romance delicioso da série A Livraria dos Corações Solitários, sobre a vida dos funcionários da livraria, um “alegre bando de desajustados”, que por uma razão ou outra desistiram do amor e, ainda assim, o encontram quando menos esperam.

Não vou mentir, a Nina sempre foi uma das minhas personagens favoritas, desde o primeiro livro da série, fiquei ansiosa pra chegar ao volume em que ela era a protagonista da história e vou dizer, não me decepcionei nem um pouquinho. Não sei como a Annie Darling consegue fazer isso, mas cada livro que ela lança é melhor que o anterior. Este consegue ser ainda mais apaixonante que os dois primeiros. Adorei a jornada de auto descoberta da Nina, todo o desenvolvimento da personagem foi incrível, e correndo o risco de me tornar repetitiva, mas uma vez me vi tendo os mesmos sentimentos que a personagem a respeito do mocinho, desde o inicio, indo da total falta de interesse à paixão em questão de capítulos. Não faço ideia se esse é o último livro da série ou se vamos ter mais romances ambientados nessa livraria maravilhosa, então se alguém tiver alguma informação eu vou ser imensamente grata!


8. “O Beijo Traiçoeiro” – Erin Beaty

Com sua língua afiada e seu temperamento rebelde, Sage Fowler está longe de ser considerada uma dama — e não dá a mínima para isso. Depois de ser julgada inapta para o casamento, Sage acaba se tornando aprendiz de casamenteira e logo recebe uma tarefa importante: acompanhar a comitiva de jovens damas da nobreza a caminho do Concordium, um evento na capital do reino, onde uniões entre grandes famílias são firmadas.

Para formar bons pares, Sage anota em um livro tudo o que consegue descobrir sobre as garotas e seus pretendentes — inclusive os oficiais de alta patente encarregados de proteger o grupo durante essa longa jornada. Conforme a escolta militar percebe uma conspiração se formando, Sage é recrutada por um belo soldado para conseguir informações.

Quanto mais descobre em sua espionagem, mais ela se envolve numa teia de disfarces, intrigas e identidades secretas. E, com o destino do reino em jogo, a última coisa que esperava era viver um romance de tirar o fôlego.

Se “Mulan” e “Orgulho e Preconceito” tivessem um filho, o nome dele seria “O Beijo Traiçoeiro”. Minha gente, vocês não tem noção do que é esse livro até começar a lê-lo! Eu ainda to meio zonza com essa história apaixonante. Tão bem escrita que eu nem vi o plot twist vindo, e olha que com o passar dos anos eu acabei desenvolvendo uma habilidade incrível pra manjar os plot twists das histórias, por isso é bem difícil me surpreender. Com uma mescla perfeita de romance, trama politica e arte da guerra, eu não consegui largar esse livro de jeito nenhum! Adorei todos os personagens, a trama complexa que se desenvolve bem debaixo do nosso nariz e, claro, o romance! Que romance apaixonante! Mal posso esperar pra ler os próximos livros!


Bom gente, é isso! Nem vou falar de novo o orgulho que estou de mim mesma por ter conseguido ler todos esses livros nesse mês, e isso por que 2 deles eram gigantescos e acho que valiam por 2 cada um! Fora que todas minhas leituras foram incríveis e eu nem consigo começar a dizer qual foi meu romance favorito desse mês.

Só espero continuar nessa maré de sorte, lendo bastante e só bons títulos! Então mês que vem tem mais livros e eu mal posso esperar para compartilhar as leituras de agosto 😀

E vocês? O que andam lendo? Me contem aqui nos comentários 😉

Estreias da Semana (25/07/2019)

Cinema, Nas Telonas

Alô, alô! Tá na hora de conferir todos os filmes que estreiam nos cinemas brasileiros nessa quinta-feira! Preparem a pipoca, por que tem filme pra todos os gostos:


Ted Bundy: A Irresistível Face do Mal

Lançamento: 25 de julho de 2019
Duração: 1h 50min
Gênero: Suspense, Drama, Biografia
Direção: Joe Berlinger

Cinebiografia de Ted Bundy (Zac Efron), serial killer que matou, pelo menos, 30 mulheres em sete estados norte-americanos durante a década de 1970. Bundy se tornou famoso em todo o país, em parte por causa da fama de sedutor, que levou a conquistar várias fãs, e em parte por ter efetuado sua própria defesa nos tribunais. A trajetória do psicopata é contada pelo ponto das mulheres que amou: Liz Kendall (Lily Collins), com quem se casou, e Carole Ann Boone (Kaya Scodelario), amante que o apoiou durante o longo julgamento nos tribunais.


As Trapaceiras

Lançamento: 25 de julho de 2019
Duração: 1h 34min
Gênero: Comédia
Direção: Chris Addison

Josephine (Anne Hathaway) e Penny (Rebel Wilson) são duas manipuladoras, conhecidas pela arte de extorquir milionários por quem fingem estar apaixonadas. No entanto, enquanto a primeira é sofisticada, a segunda tem métodos muito menos elegantes. O caminho das trapaceiras se cruza na Riviera Francesa, onde ambas procuram por um novo algo. Apesar de competirem pela fortuna de Thomas Westerburg (Alex Sharp), um prodígio da tecnologia, Josephine e Penny logo descobrem que talvez tenham mais chances de sucesso se trabalharem juntas.


O Mistério do Gato Chinês

Lançamento: 25 de julho de 2019
Duração: 2h 09min
Gênero: Fantasia, Drama, Suspense
Direção: Chen Kaige

Durante a dinastia Tang, na China, um gato misterioso começa a atacar altos membros da Corte Imperial, deixando uma série de mortos. Dois homens muito diferentes, o poeta chinês Bai Letian (Huang Xuan) e o monge japonês Kûkai (Shôta Sometani) decidem unir forças para descobrir o que existe por trás do animal místico. Aos poucos, eles descobrem segredos na história da nobreza, envolvendo uma bela concubina amada pelo Imperador, mas atacada pelo povo. O gato constituiria, na verdade, o acerto de contas por um crime jamais solucionado.


As Rainhas da Torcida

Lançamento: 25 de julho de 2019
Duração: 1h 31min
Gênero: Comédia
Direção: Zara Hayes

Diagnosticada com câncer terminal, a solitária Martha (Diane Keaton) decide se livrar de todos os seus pertences pessoais e se mudar para uma comunidade de idosos com o intuito de esperar a morte chegar. Em seus últimos meses, ela quer uma vida tranquila, lendo livros e interagindo com poucas pessoas, mas ao conhecer sua nova vizinha, Sheryl (Jacki Weaver), uma mulher ativa e barulhenta, Martha vê seus planos indo por água abaixo, já que a nova companhia faz questão de se manter constantemente presente. A medida que a relação das duas se desenvolve, uma forte amizade surge e Sheryl incentiva Martha a treinar os passos de líder de torcida novamente, como fazia na época da escola. Resistente, a protagonista topa a ideia e juntas elas montam um clube para empoderar diversas mulheres acima dos 60 anos. Para fazer isso, elas precisam enfrentar o preconceito de todos e treinar para uma importante competição.


A Serpente

Lançamento: 25 de julho de 2019
Duração: 1h 13min
Gênero: Drama
Direção: Jura Capela

Lígia e Guida (ambas interpretadas por Lucélia Santos) são duas irmãs que vivem na mesma casa. Quando a doce Lígia enfim se casa com Décio (Sílvio Restiffe), ela espera ser deflorada na noite de núpcias, mas o homem é impotente. Mais tarde, ele a troca por uma lavadeira. Sentindo-se rejeitada, a recém-casada tenta o suicídio, mas é resgatada no último momento por Guida. A partir deste momento, a irmã virgem cede aos flertes do cunhado Paulo (Matheus Nachtergaele) e faz sexo com ele. Quando Guida descobre a traição em sua própria cama, a família entra em crise. Uma cova é cavada do lado de fora da casa, e fica claro que alguém precisa morrer.


O Professor Substituto

Lançamento: 25 de julho de 2019
Duração: 1h 43min
Gênero: Suspense
Direção: Sébastien Marnier

Um professor comete suicídio se jogando pela janela da sala de aula, em frente aos alunos adolescentes. Em seu lugar é contratado Pierre Hoffman (Laurent Lafitte) como professor substituto, que logo percebe que um grupo de seis dos seus novos alunos parece indiferente ao que acontece à sua volta. Aos poucos, Hoffman nota que este pequeno grupo exerce uma estranha influência sobre o resto da escola, inclusive na direção. Cada vez mais obcecado por eles, o professor passa a segui-los até descobrir quais são seus planos.


O Mistério de Henri Pick

Lançamento: 25 de julho de 2019
Duração: 1h 40min
Gênero: Comédia , Drama
Direção: Rémi Bezançon

Daphné Despero (Alice Isaaz) é uma ambiciosa editora em busca de novos romances para publicar. Um dia, enquanto visita seu pai, ela conhece uma livraria de manuscritos rejeitados. Lá, ela se encanta com uma história nunca antes publicada, escrita por um pizzaiolo bretão chamado Henri Pick. Admirada com o talento encontrado, ela começa a pesquisar sobre o autor e acaba descobrindo que ele faleceu há dois anos. Com o apoio da família de Pick, o manuscrito é publicado e imediatamente vira uma febre em toda a França, entrando para a lista de mais vendidos e gerando fascínio sobre a história do autor. Como parte da turnê de divulgação do livro, Daphné e a família de Pick são convidadas para ir ao programa de Jean-Michel Rouche (Fabrice Luchini), um crítico literário pedante e desagradável, que não hesita em questionar todos os pontos da história de Henri Pick. Convencido de que se trata de uma farsa, Jean-Michel inicia uma trajetória em busca da verdade sobre o mais novo best-seller francês.


E aí, pessoal? Qual desses despertou o interesse de vocês?

Me contem aqui nos comentários o que pretendem assistir essa semana 😀

O Rei Leão (2019)

Cinema, Nas Telonas

Chegou aos cinemas do mundo inteiro nesta semana a adaptação em “live action” de uma das animações mais aclamadas de todos os tempos: “O Rei Leão”.

O filme de 1994, vencedor de 2 Oscars, é um dos meus favoritos da vida. Passei a minha infância perdida em locadoras de VHS, sempre levando pra casa a mesma fita cassete. Chegou ao ponto dos meus pais comprarem o filme pra mim. Dito isso, da pra perceber que minhas expectativas estavam bem altas para conferir a releitura dirigida por Jon Favreau.

E daí a gente volta para a velha história das expectativas e como elas são extremamente tóxicas. Gente, sempre que forem fazer qualquer coisa na vida, não vão com expectativas altas. Por que quase sempre a coisa não vai ser tão boa quanto você imagina e daí você se frusta e acaba ficando mais chateado do que se tivesse ido preparado para o pior.

O caso com esse novo “O Rei Leão” não é a qualidade dos efeitos visuais ou do CGI. A trilha sonora também não é problema, já que está impecável, inclusive foi a responsável por me fazer chorar desde os primeiros acordes de “Circle of Life“. Todas as canções, instrumentais ou não, me remetiam ao longa original, e eu não fui capaz de segurar a emoção em nenhum momento onde aquele tema dos “Grandes Reis do Passado” (realmente não sei o nome dessa música, mas é aquela que sempre toca quando Simba tem um momento com seu pai) começava a tocar, já que me lembrava da morte injusta de Mufasa e da falta que ele fazia ao seu filho.

A sequência inicial do filme foi perfeita. A emoção foi sem tamanho, com a sala de cinema inteira aplaudindo até mesmo a abertura com o logo da Disney. As cenas do inicio são exatamente iguais às da animação original, repetindo até mesmo os enquadramentos.

Fora isso, infelizmente, não tenho mais elogios.

A palavra pra definir os personagens deste longa é: APATIA.

Minha impressão foi a de que ficaram tão preocupados em fazer os animais parecerem animais de verdade, que se esqueceram de adicionar aquela pitada de emoção nas expressões dos bichos.

Apesar de ter chorado igual um bebê basicamente o filme inteiro (e isso única e exclusivamente graças à trilha sonora), sai do cinema com a mesma sensação de quando assisti “A Bela e a Fera”: não gostei. Não consegui sentir uma ligação com nenhum personagem, parecia tudo muito raso e superficial, quase como se eu estivesse assistindo um documentário do Animal Planet e ouvindo a trilha sonora no Spotify.

Até mesmo o Scar, um dos vilões mais icônicos do cinema, aquele personagem super debochado e caricato, com um carisma dos diabos e frases celebres que até hoje fazem parte da minha vida (“Perdoe-me por não pular de alegria, as minhas costas doem.”, “Eu estou cercado de idiotas.”, “Era hoje? Me desculpe, devo ter perdido a memória.”), foi deturpado nessa versão. Nada de vilão sarcástico e astuto aqui, apenas um leão meio detonado, invejoso e, novamente, APÁTICO (desculpem, não consigo encontrar outra palavra pra definir esse filme).

Timão e Pumba nem se fala: super apagados. Aquele trechinho no final do ultimo trailer deles cantando “The Lion Sleeps Tonight” foi um dos únicos momentos dos dois que realmente valeu a pena. Ainda estou bem chateada de Timão não aparecer fantasiado dançando a hula.

Tem também o fato de ser bem difícil diferenciar as leoas. Fiquei muito confusa durante o filme, sem saber quem era Sarabi, quem era Nala ou quem era Sarafina. Todas elas pareciam exatamente iguais e o roteiro não facilitou pra gente conseguir identificar as personagens, já que não deu nenhuma construção mais profunda pra nenhuma delas.

Nem o Donald Glover foi capaz de trazer o Simba à vida. Não me entendam mal, não acho que tenha sido um problema de dublagem, por que as vozes estavam ótimas. Mas parecia que elas não saiam de dentro dos personagens. Na real, me lembrei daqueles filmes onde cachorros falavam nos anos 80, sabe? Que pegavam os bichos e davam algo pra eles mastigarem enquanto dublavam? A sensação é a mesma!

Nessa onda de tentar fazer as coisas mais reais a magia se perdeu. “A Just Can’t Wait to Be King” ficou pobre, sem cor, sem animação. Sem falar que DESTRUÍRAM Be Prepared“, uma das minhas canções favoritas do original, que teve sua letra e seu ritmo totalmente alterados, ficou totalmente sem carisma e sem emoção, e pra mim isso aí foi imperdoável.

Apesar de tudo, gostei do arco do Scar com as hienas, achei que foi mais bem explorada aqui essa relação dos personagens do que no original. Mas talvez essa tenha sido a única parte do roteiro que fez algum sentido. Eu sei que no desenho as coisas acontecem num ritmo muito mais acelerado, mas já que se propuseram a fazer um “live action”, essa coisa mais realista, deviam ter se atentado e levado essa realidade ao roteiro.

Os diálogos são bem fraquinhos e os argumentos meio fracos. As coisas acontecem num ritmo estranho pra um filme que se propõe a não ser uma animação. Novamente me lembrou muito da adaptação de “A Bela e a Fera”, onde eu não via muitos motivos pra Bela se apaixonar pela Fera, mesmo que as cenas fossem iguais às da animação, faltou muita química. Tive a mesma sensação à respeito da relação Nala x Simba, e acho que com todas as relações apresentadas na tela. “Aladdin” teve muito mais sucesso nesse ponto, construindo relações verossímeis, fugindo um pouco do roteiro original, mas sem deixar de se ater ao assunto principal.

Também detestei as cores desse filme. A fotografia te prende em um tom pastel infinito. O negócio se passa no meio da savana africana sabe, onde poderiam ter explorado todo tipo de tons quentes e fortes, cores vivas! Em vez disso tudo parece meio embalado num filtro Valencia do Instagram.

Enfim, sinto que esse post foi mais um desabafo do que uma critica. Ainda pretendo assistir ao filme mais uma vez, desta vez com a dublagem BR pra poder ouvir a rainha IZA arrasando em “Nesta Noite o Amor Chegou“, e até pra tentar digerir melhor a história toda, quem sabe sem o peso das expectativas a coisa não melhora?

De todo jeito, queria muito saber a opinião de quem já assistiu o filme. Será que fui só eu que odiou tudo, exceto as músicas?

Me contem aqui nos comentários 😉

Estreias da Semana (18/07/2019)

Cinema, Nas Telonas

A semana do dia 18 de julho de 2019 chegou trazendo uma das estreias mais esperadas deste ano!

Porém, mesmo com a ansiedade para assistir a adaptação do “live action” de um dos maiores clássicos da Disney, não da pra esquecer que tem mais filmes chegando às telonas dos cinemas brasileiros nesta semana!

Então força na peruca, e confiram abaixo a lista com as Estreias da Semana de 18/07/2019 e já comecem a se programar pro cineminha do fim de semana:


O Rei Leão

Lançamento: 18 de julho de 2019
Duração: 1h 58min
Gênero: Aventura, Animação
Direção: Jon Favreau

Simba (Donald Glover) é um jovem leão cujo destino é se tornar o rei da selva. Entretanto, uma armadilha elaborada por seu tio Scar (Chiwetel Ejiofor) faz com que Mufasa (James Earl Jones), o atual rei, morra ao tentar salvar o filhote. Consumido pela culpa, Simba deixa o reino rumo a um local distante, onde encontra amigos que o ensinam a mais uma vez ter prazer pela vida.


O Bar Luva Dourada

Lançamento: 18 de julho de 2019
Duração: 1h 50min
Gênero: Drama, Suspense
Direção: Fatih Akın

Na década de 70, os habitantes da cidade de Hamburgo sofrem quando os jornais começam a noticiar o desaparecimento sucessivo de vários cidadãos seguindo um padrão específico. Começa então uma das mais complexas investigações de assassinatos em série que o local já havia presenciado até o momento.


Jornada da Vida

Lançamento: 18 de julho de 2019
Duração: 1h 44min
Gênero: Drama, Comédia
Direção: Philippe Godeau

Um ator francês (Omar Sy) de descendência senegalesa faz uma viagem à África para promover o seu livro. No local, descobre que um de seus maiores fãs é Yao, um garotinho que efetuou uma longa viagem sozinho para vê-lo. Comovido com a história do menino, decide acompanhá-lo de volta à sua casa, e no percurso, confronta-se às suas próprias raízes.


Palace II – Três Quartos com Vista para o Mar

Lançamento: 18 de julho de 2019
Duração: 1h 20min
Gênero: Documentário
Direção: Rafael Machado, Gabriel Correa e Castro

No dia 22 de fevereiro de 1998, o conhecido prédio Palace II sofreu um desabamento inesperado, deixando 8 mortos e quase 200 famílias desabrigadas. Considerado um dos maiores desastres na história da engenharia civil brasileira, até hoje alguns dos culpados não foram punidos pelo descaso, e as pessoas envolvidas no acidente lembram-se muito bem dos momentos cruciais, antes, durante e depois da queda.


Em Busca da Cerveja Perfeita

Lançamento: 18 de julho de 2019
Duração: 1h 01min
Gênero: Documentário
Direção: Heitor Dhalia

Durante uma viagem de mais de 10.000 km, o diretor Heitor Dhalia explora o universo cervejeiro com o objetivo de responder a pergunta “Existe uma cerveja perfeita?”. Para tentar descobrir, ele conversa com mais de 20 especialistas no assunto e traça um panorama completo da bebida, que é uma das mais amadas do mundo.


E aí, pessoal? Qual desses filmes vocês estão mais ansiosos para assistir?

Me contem aqui nos comentários 😉

Ninguém é invencível na 3ª temporada de Stranger Things

Na TV

Estreou pela Netflix no último 4 de julho a nova temporada do fenômeno mundial: Stranger Things, e graças ao abençoado feriadão em São Paulo nesse último fim de semana, consegue maratonar os novos episódios e já adianto: o show protagonizado por Winona Ryder e David Harbour chegou à seu terceiro ano sem perder a mão e muito mais assustador do que de costume.

Dispensando maiores apresentações, deixo aqui meu aviso de possíveis spoilers no texto a seguir, que vai abordar a minha humilde opinião e os meus sentimentos sobre as novas aventuras de Eleven, Mike, Will, Dustin, Lucas e Max, tentando impedir mais uma ameaça iminente, diretamente do Mundo Invertido.

Primeiramente é preciso dizer que este novo ano está diferente dos anteriores. Não que as Coisas Estranhas do título sejam realmente estranhas ao público, pelo contrário, acredito que as esquisitices já estejam mais familiares e talvez perdendo um pouco da graça, já que retornamos ao mesmo ciclo de “opa, portal pro Mundo Invertido sendo aberto, opa, Devorador de Mentes devorando mentes”. Porém, essa nova temporada traz algumas coisas novas aos espectadores.

Acho que a mudança mais gritante são as próprias crianças, que já não são mais tão crianças assim. O susto é grande logo no começo, quando, já no primeiro episódio, somos apresentados a nova dinâmica entre Eleven e Mike: aquela onde eles não conseguem tirar a língua de dentro da boca um do outro.

Mas calma. Não é algo gratuito e nem recorrente pelo resto da temporada. Acredito que tenha sido uma daquelas coisas pra ilustrar como eles realmente cresceram. E a temporada foi recheada desses momentos: como em certo episódio, quando vemos alguns flashbacks das crianças na primeira temporada e ali é GRITANTE como eles amadureceram.

E aí, meus amigos, com grandes poderes vem grandes responsabilidades. Por que nessa temporada percebemos como as crianças não são mais intocáveis. Não vou negar que fiquei horrorizada com cenas em que eles levavam PORRADA! Foi muito chocante perceber que eles estavam apanhando igual gente grande.

Outro ponto, um que Mike vem batendo na tecla a algum tempo, é a questão da invencibilidade de Eleven. É bem claro como o grupo depende da garota para combater os inimigos, e acaba apostando todas as fichas em suas habilidades. Mas e quando nem ela é forte o bastante para lutar contra essa ameaça?

Acho que essa temporada também serviu para que nós mesmos, e não apenas os personagens de Strangers Things, não dependêssemos tanto dos dons de Eleven, afinal ela ainda é apenas uma garota, de carne e osso, que se esgota, se machuca e toma porrada na cara também.

Mais uma diferença entre essa e as demais temporadas é a fragmentação do grupo. É meio clássico do show desenvolver plots diferentes pelos diversos núcleos da trama. Cada grupo sempre teve um arco próprio, que ia se desenvolvendo em paralelo a algum aspecto da trama, e no final todos esses personagens juntavam os pedaços de seus quebra-cabeças e tinham a visão total do enredo. Sempre achei esse um recurso bem instigante. Além da curiosidade com o que viria a seguir, tinha também a ansiedade para o momento em que todo mundo finalmente se encontraria e compartilhariam as informações para enfrentarem juntos a ameaça maior!

Isso ainda acontece nessa temporada, porém temos uma divisão no grupo principal das crianças e algumas adições muito interessantes. Aqui Dustin se sente meio que deixado de lado pelos amigos e recorre à Steve para ajudá-lo a decifrar um código russo captado por Cérebro (qualquer referencia à X-Men não é mera coincidência), o super rádio desenvolvido por ele no acampamento de ciências.

Claramente os dois não são capazes de decifrar o código sozinhos e contam com a ajuda de Robin, interpretada por Maya Hawke (sim, a filha de Uma Thurman e Ethan Hawke), que trabalha com Steve no Scoops Ahoy do Starcourt Mall, o grande Shopping que virou o novo point dos habitantes de Hawkins. Mais tarde Erica, irmã mais nova de Lucas, se une ao grupo para tentar desvendar o que os russos estão aprontando numa cidadezinha no interior de Indiana.

E este é o quarteto que eu nem sabia que precisava até vê-los em ação na tela. Mais uma coisa que eu não sabia que precisava até ver é a amizade desenvolvida entre Eleven e Max nesta temporada. A ruiva abre os olhos de nossa amiga super poderosa para todas as possibilidades que uma amizade entre garotas pode ter, ao invés de ficar só agarrada com o namorado o tempo inteiro. Obrigada Max, por ensinar o feminismo pra Eleven ♥

Ainda sobre as diferenças dessa nova temporada para as demais, da pra dizer, com certeza, que esse é o ano MAIS NOJENTO da trama. Cada vez que eu achava que não podia ter nada mais repugnante do que ratos explodindo em gosma e virando um monstro de gosma gigante, vinha alguma outra coisa muito mais repulsiva: tipo um mini monstro saindo de dentro de alguém, no melhor estilo “Alien: O 8º Passageiro”.

Desta vez o Devorador de Mentes resolveu deixar o nosso menino Will em paz (obrigada Deus, já tava cansada de ele ser sempre o cordeiro do sacrifício), e o garoto agora foi meio que reduzido à um detector de Devorador de Mentes, sentindo sempre a presença do bichão quando este está por perto. O novo hospedeiro escolhido do vilão acabou sendo o Billy, que muitos diriam que é tão podre quanto ele, mas que no decorrer da temporada acabou me fazendo simpatizar um pouco com o personagem. Obviamente ele é um escroto, e nada justifica os atos dele, mas crescer com um pai abusivo deve mexer demais com a cabeça de uma pessoa. Então eu até entendo o personagem, mas nada do que ele faz é justificável.

No fim das contas, eu vi muita gente falando mal dessa nova temporada. Seja por que acharam que era só mais do mesmo, ou por que acreditam que não tem mais história pra abordar, ou até por que a primeira parte é mais lenta, mas pra mim essa foi a melhor temporada até aqui.

Vejam todas as diferenças que apontei dessa para as outras temporadas. Olhando além das ameaças que os habitantes de Hawkins precisam enfrentar, vejam todos os elementos abordados nessa história. A ambientação é incrível, a fotografia é linda, a trilha sonora é impecável, sem falar dos figurinos, maquiagem, cabelo… Ainda temos, por trás disso tudo, uma história sobre amadurecimento, sobre crescer e perceber que não é mais criança e que precisa arcar com as consequências de seus atos, ninguém é intocável.

Enfim, como sempre, não foi uma resenha ou critica ou texto super elaborado e cheio de tecnicalidades sobre a nova temporada da série. Sempre acabo escrevendo textos enormes só sobre as minhas impressões, os pontos que mais me chamaram a atenção, o que mais gostei e o que menos gostei naquilo que assisti. Basicamente um monte de sentimentos vomitados na tela.

Como vocês, sou só uma fã, ainda à espera de uma confirmação da Netflix sobre uma 4ª temporada, coisa que ainda não aconteceu, porém os irmãos Duffer já saíram falando por aí sobre suas ideias para um possível 4º ano do show, como ele seria completamente diferente do que vimos até agora e como abrangeria mais.

Por isso, ficamos só na expectativa por enquanto.

E aí? Já conseguiram assistir todos os episódios?

Me contem aqui nos comentários o que acharam 😀

P.S.: aaaaah, não desliguem a tv quando acabarem de assistir, tem cena pós-créditos depois do episódio final!

Estreias da Semana (11/07/2019)

Cinema, Nas Telonas

Depois de um hiato de exatamente 3 meses, o Estreias da Semana está de volta ao blog com o resuminho dos principais filmes que chegam aos cinemas brasileiros nesta quinta-feira (11).

Esta é uma semana de poucas estreias e sem grandes Blockbusters, mas com algumas opções bem interessantes.

Confiram abaixo a lista:


Amor à Segunda Vista

Lançamento: 11 de julho de 2019
Duração: 1h 58min
Gênero: Comédia, Romance  
Direção: Hugo Gélin

Do dia para a noite, Raphael (François Civil) acorda em um universo paralelo onde ele nunca conheceu Olivia (Joséphine Japy), o amor da sua vida. Agora ele precisa reconquistar a sua esposa, mesmo sendo um completo estranho para ela. Enquanto Raphael tenta entender exatamente o que aconteceu, ele corre contra o tempo para não perdê-la.


Atentado ao Hotel Taj Mahal

Lançamento: 11 de julho de 2019
Duração: 2h 05min
Gênero: Drama
Direção: Anthony Maras

Mumbai, Índia, 2008. Um grupo de terroristas chega à cidade de barco, disposto a promover uma série de ataques em locais icônicos da cidade. Um deles é o luxuoso hotel Taj Mahal, bastante conhecido pela quantidade de estrangeiros e artistas que nele se hospeda. Quando os ataques começam, o humilde funcionário Arjun (Dev Patel) tenta ajudar todos a se protegerem, enquanto David (Armie Hammer) e Zahra (Nazanin Boniadi) buscam algum meio de retornar ao quarto em que estão hospedados, já que nele está seu bebê e Sally (Tilda Cobham-Hervey), sua babá.


A Pequena Travessa

Lançamento: 11 de julho de 2019
Duração: 1h 42min
Gênero: Família, Aventura
Direção: Joachim Masannek

Lilli Susewind (Malu Leicher) tem a habilidade de falar com animais, mas fora seus pais, ninguém sabe deste segredo. Quando ela conhece Jess (Aaron Kissiov), um menino divertido e misterioso de sua nova escola, decide contar para ele. Juntos, os dois precisam achar o filhote de elefante que foi roubado do zoológico da cidade.


Estou me Guardando para Quando o Carnaval Chegar

Lançamento: 11 de julho de 2019
Duração: 1h 25min
Gênero: Documentário
Direção: Marcelo Gomes

Na cidade de Toritama, considerada um centro ativo do capitalismo local, mais de 20 milhões de jeans são produzidas anualmente em fábricas caseiras. Orgulhosos de serem os próprios chefes, os proprietários destas fábricas trabalham sem parar em todas as épocas do ano, exceto o carnaval: quando chega a semana de folga eles vendem tudo que acumularam e descansam em praias paradisíacas.


Inocência Roubada

Lançamento: 11 de julho de 2019
Duração: 1h 43min
Gênero: Drama
Direção: Andréa Bescond, Eric Métayer

Aos oito anos, Odette (Andréa Bescond) gostava de pintar e desenhar, como todo criança inocente. Eventualmente, ela também brincava com os adultos, por isso não recusou participar de uma “guerra de cócegas” com um homem mais velho, amigo de seus pais. Anos depois, Odette é uma adulta assombrada pelos traumas da infância, algo que ela vem tentando esquecer através da dança, atividade que ela pratica profissionalmente.


E aí, algum desses filmes despertou a curiosidade de vocês?

Me contem aqui nos comentários 😉

[2019] Leituras de Junho

Literatura, Na Estante

O mês de junho culminou no retorno das minhas férias enlouquecidas em Nova York. Foi um mês de readaptação à rotina e não da pra dizer que estou tendo muito sucesso nisso.

Um mês fora pode até parecer pouco, já que o tempo corre quando estamos nos divertindo, mas a mudança na rotina que esse mês causou é bem difícil de ser equilibrada de novo.

E com a minha rotina de leitura não podia ser diferente.

Graças a Deus consegui ler mais do que metade de um livro esse mês (ainda não me recuperei muito bem da vergonha do mês passado), mas ainda não estou em plena forma, como vocês podem conferir abaixo, com as minhas Leituras de Junho:


  1. “Meus dias depois de você” – Chris Melo

Em seu texto mais íntimo, Chris Melo aborda pela primeira vez os percalços da maternidade. É um grande presente para as mães, que vão se enxergar e refletir os momentos pelos quais passaram e para as filhas e filhos que poderão sentir as felicidades e inseguranças indecifráveis da maternidade de um ponto de vista desconhecido.

Muito além de um breve conto, ‘Meus Dias Depois de Você’ é um ensaio, uma conversa sincera sobre o que é ser mãe.

“Talvez o que vou dizer agora não devesse ser pronunciado, mas a verdade é que o meu vazio existencial nunca foi preenchido, ganhou apenas a companhia de uma angústia feliz. Um sentimento controverso, mas não duvidoso. Ser mãe é amar demais e nada pode ser mais angustiante e feliz do que isso.”

Todo mundo que me acompanha nesse blog ou no meu Instagram sabe que eu sou obcecada pela Chris Melo. Ela é a minha autora nacional (e acho que até mesmo internacional) favorita e eu não canso de dizer isso. Qualquer livro, conto ou texto que ela escreva eu vou querer botar as mãos e ler, sem me preocupar com a sinopse. E ela sempre me surpreende, mesmo que eu não me identifique com o mote da história, suas palavras sempre me tocam e me fazem chorar. Não foi diferente com este conto curtinho, que está disponível na Amazon. Mesmo não entendendo nada sobre maternidade, pois não sou mãe e nem quero ser, consegui me emocionar absurdamente em pouquíssimas páginas, graças a maestria com que a autora escreve. Vale a pena, se você for mãe ou não, se apaixonar por mais essa história da Chris Melo.


2. “Hacker” – Ray Tavares

Hannah Knight é uma jovem estudante da Universidade de São Paulo, completamente comum e com alguns problemas de socialização, dona do incrível dom de sempre passar despercebida.

Assim, é na rede que ela consegue ser ela mesma – conhecida por suas habilidades em tecnologia, a hacker é contratada para atuar em pequenos trabalhos em troca de remuneração e ensinamentos de seu melhor amigo e tutor, L. Love.

Além disso, é online que a garota consegue se comunicar com o seu único e grande amor, Oliver Morais. Porém, quando ela aceita o desafio de investigar Sergio Maia, o poderoso agente literário de Oliver, a sua vida começa a mudar.

Mais um livro incrível disponibilizado através da Amazon, escrito por mais uma escritora nacional estelar! A Ray Tavares ganhou todo o meu amor com “Os 12 Signos de Valentina” e desde então estou lendo tudo dela em que coloco as mãos, seja através dos livros publicados pelo Grupo Editorial Record, pela Amazon ou pelo Wattpad! Qualquer que seja a plataforma de publicação, você pode ter certeza de que não vai se decepcionar com a escrita descolada dessa autora! Em “Hacker” ela combina romance, bom humor, criticas sociais, suspense e mistério em uma aventura super gostosa de ler! Não é um livro pra te fazer refletir sobre a vida, mas é um entretenimento de qualidade, ideal pra esfriar a cabeça e se divertir!


3. “A Linguagem do Amor” – Lola Salgado

Aos 17 anos, a única coisa que realmente importa para Rebecca é se formar com louvor na faculdade de Letras para, no futuro, realizar o sonho de trabalhar em uma grande editora, perto de todos os livros de fantasia incríveis com as quais cresceu. Morando em uma nova cidade e longe da proteção dos avós, por quem foi criada, ela lutará para não seguir os passos errantes da mãe.

Estaria tudo nos conformes se não fosse o murmurinho percorrendo os corredores da universidade: Adônis, o novo professor de Produção Textual, é um verdadeiro carrasco. Rude, solitário e mal humorado, ele tenta, na verdade, fugir dos fantasmas passados.

A Linguagem do Amor é um romance intenso e divertido, mas, acima de tudo, uma história sobre dar uma nova chance para a vida quando tudo parece ter saído dos eixos.

Não me julguem, mas este é outro romance de uma das minhas ídolas nacionais e também publicado via Amazon! Eu já falei varias vezes aqui da Lola Salgado e como descobrir essa escritora foi uma das melhores coisas que me aconteceram ano passado! E não estou exagerando! A cada livro que leio dela, mais fica cimentada a sua capacidade incrível de contar histórias! São romances apaixonantes e reflexivos, com cenas quentes descritas com perfeição! Nesta obra, somos inundados pela intensidade de seus dois protagonistas, aparentemente diferentes, mas como semelhanças abrasadoras. Prepare os lencinhos, por que diferente dos livros mais leves e engraçados que li da autora, esse vai arrancar lágrimas dos olhos de qualquer um! E sério, não deixem de conferir as histórias dela publicadas também no Wattpad, são totalmente de graça e igualmente sensacionais!


4. “As Pequenas Coisas” – Lola Salgado

“O problema é que a felicidade não é sólida e inatingível como uma parede de concreto. Pelo contrário. A vida é inconstante e, mesmo nos momentos mais felizes, existem espaços de vazio e incerteza.”

Depois de 6 anos de casados, Rebecca tinha tudo para estar vivendo o seu ‘felizes para sempre’, mas quando a rotina se instala e as dificuldades do dia-a-dia aparecem, é impossível ignorar a enorme sensação de se encontrar em uma rua sem saída, incapaz de seguir adiante.

Tudo o que Adônis mais anseia é ajudá-la, porém em meio as suas frequentes viagens a trabalho, eles parecem se desencontrar cada vez mais.
Aos poucos, eles vão perceber que só há um jeito de recuperar a relação e encontrar o equilíbrio — descobrindo o valor das pequenas coisas.

Chamar de “conto” é minimizar toda a estrutura dessa obra. Do alto de suas quase 200 páginas, “As Pequenas Coisas” deveria ser chamado de livro. Igualmente emocionalmente, me peguei morrendo de chorar logo nas primeiras páginas dessa história. NUNCA VOU TE PERDOAR, LOLA SALGADO! NUNCA! E ela sabe muito bem o por quê! Esse romance complementa o livro anterior e é incrível por que nos mostra como não devemos nos acomodar com o “felizes para sempre”. Amei a abordagem da autora, que trouxe um assunto tão pertinente à nossa geração de uma maneira didática e encantadora. Quem tiver curiosidade, esse “conto” também está disponível na Amazon.


5. “Corte de Gelo e Estrelas” – Sarah J. Maas

O aguardado spin-off da série Corte de Espinhos e Rosas.

Feyre, Rhys e seu círculo íntimo de amigos ainda estão ocupados reconstruindo a Corte Noturna e tentando manter a paz, conquistada a base de muito esforço e perdas pessoais, após a queda da muralha.

Mas o Solstício de Inverno finalmente está próximo e, com isso, um alívio merecido. Compras, festas, celebração e a promessa de dias tranquilos. A atmosfera festiva não consegue, entretanto, impedir que as sombras da guerra se aproximem.

Em seu primeiro Solstício como Grã-Senhora, Feyre ainda lidando com os horrores do passado recente, e percebe que seu parceiro e sua família têm mais cicatrizes do que ela esperava – cicatrizes que podem impactar o futuro, e a paz, de sua Corte.

Olha gente, todo mundo sabe que é Deus no céu e Sarah J. Maas na Terra, mas puta que pariu, como ela encheu linguiça nesse livro. Amo essa série, amo as histórias que essa mulher conta, amo sua escrita e suas personagens femininas fortes e maravilhosas, mas sinto que o conteúdo deste livro poderia ter sido resumido em um conto com facilidade. Tem pontos importantíssimos, inclusive ele fecha aquele ciclo de “Corte de Asas e Ruína” (que na real já tinha ficado bem fechadinho) e começa a introduzir os conflitos e personagens que serão apresentados na próxima série dentro deste universo. Não que tenha sido ruim, foi ótimo matar as saudades de personagens tão amados e ainda acompanhar os pontos de vista de alguns deles, como Mor, Cassian e Nestha, porém, novamente, dava pra ter feito tudo isso numa short story.


Bom gente, estas foram as minhas singelas leituras de junho! Notem que o Kindle vai dominar a minha vida e 90% delas foram lidas pela plataforma digital da Amazon!

Mês que vem tem mais e se Deus quiser MUITO MAIS LEITURAS!

Não se esqueçam de me contar aqui nos comentários o que vocês andam lendo 😉