Eu, o Wattpad e o Improvável

Eu Mesma, Literatura

Uma das minhas metas em 2019 era publicar um livro na Amazon.

Como já falei aqui em diversas ocasiões, inclusive no primeiro post desse blog, a escrita e a literatura são as minhas maiores paixões, e no Projeto 2019 contei pra vocês que finalmente resolvi botar a cara no sol e me dar essa meta de auto-publicação.

Infelizmente, acabou não dando TÃO certo assim, e eu prometi, lá no post do Balanço de 2019, que iria contar essa história direitinho pra vocês, então VEM COMIGO!

A ideia inicial era escrever um romance completo, fiz inclusive um calendário e planejamento cuidadoso. Pesquisei capistas, revisores, layoutistas, etc, etc, etc. Big Plans! E acho que o problema foi justamente esse. Eu fui com MUITA sede ai pote, em vez de ter dado aqueles baby steps primeiro.

Não que eu tenha colocado o carro na frente dos bois e tal, mas é que eu NUNCA tinha conseguido terminar uma história na minha vida, mesmo escrevendo “seriamente” desde os 16 anos. Acho que acabei sendo um pouco ambiciosa com essa meta, no fim das contas.

Mas o caso é que, eu realmente comecei a escrever meu romance. “Cara ou Coroa” têm, inclusive, 10 capítulos completos. Entretanto, fiquei tão ansiosa pra por no papel essa história, que acabei pulando uns passos básicos, que sempre faço quando começo a escrever: uma ficha de personagens, uma linha do tempo, um resumo da história, um roteiro capítulo a capítulo e, por fim, uma sinopse.

O negócio é que eu acabei pulando os dois primeiros itens dessa lista. E quando eu cheguei lá no capítulo 10 tava mais perdida que cego em tiroteio: esquecendo nome de personagens, esquecendo características de personagens… e daí eu meio que surtei e parei de escrever. Resolvi voltar pro planejamento antes de continuar, por que se é pra fazer uma coisa, eu quero fazer bem feito.

Infelizmente tudo isso acabou casando com um belo bloqueio criativo, e eu me vi lendo mais livros e escrevendo menos livros. Quando dei por mim os prazos estavam nos meus calcanhares e percebi que ia ser impossível pro “Cara ou Coroa” ver a luz do dia em 2019. Por isso, acabei engavetando o projeto e meio que desistindo de cumprir essa meta.

Até que, no dia 14 de novembro de 2019, eu tive um sonho erótico com o Robert Pattinson.

Sim, meus caros amigos, vocês leram certo.

O que isso tem a ver com a história desse post? Bom, esse sonho meio que me deu a inspiração pra escrever um conto.

A primeira coisa que decidi sobre essa história, fora que seria um conto, foi que ela não iria para a Amazon. Eu ainda queria cumprir minha meta de auto-publicação, pelo menos em partes, mas não haveria tempo hábil para montar uma história, diagramar e lançar numa plataforma como a Amazon. Por isso, acabei optando pelo Wattpad.

O Wattpad é uma plataforma gratuita para publicação de histórias originais e fanfics. Eu faço parte da comunidade, apenas como leitora, desde 2015. Lá você pode tanto ler quanto escrever, e sempre sem pagar nada. Percebi que seria um ótimo ponto de partida começar por essa plataforma antes de tentar abocanhar uma Amazon. Até por que existe uma troca muito grande no Wattpad, os leitores podem comentar paragrafo por paragrafo da sua história e a interação me ajudaria a saber onde eu estaria acertando e onde estaria errando.

Decidido meu veículo, passei um tempo amadurecendo essa ideia. Apesar do sonho ter sido BEM EXPLICITO, na minha cabeça a história foi tomando outras proporções e crescendo em volta de coisas um pouco mais sérias:

Duas semanas depois de ter tido o sonho e da história começar a tomar forma na minha cabeça, eu consegui o plot principal, uma sinopse e A HISTÓRIA COMPLETINHA:

Obviamente cortei as ultimas linhas desse print pra não dar spoiler pra ninguém, heheheeh.

A história seria dividida em 3 partes, a primeira e a ultima bem curtinhas, e a do meio mais parruda. Funcionaria muito como um prólogo, o conto de verdade, e um epílogo. A primeira parte veio fácil. Escrevi praticamente de olhos fechados, de tão bem que fluiu.

Quando cheguei na segunda parte, travei.

E passei mais umas semanas travada. E apavorada com a ideia de não conseguir escrever um simples conto, uma história que não teria nem 50 páginas.

As vezes a gente faz umas coisas consigo mesma totalmente desnecessárias. Acho que nesse período eu fui muito má comigo. Não precisava ter me dito algumas coisas, mas, na hora da frustração, um milhão de pensamentos errados passam pela nossa cabeça.

Eu não era obrigada a escrever um livro ou um conto sequer. Muito menos era obrigada a publicar qualquer uma dessas coisas. Foi uma meta que eu mesma me impus, por que queria dar um pontapé nesse sonho, agarrar com as minhas próprias mãos esse objetivo e não ficar esperando a vida acontecer.

Então depois de algumas semanas de bloqueio e de ser bem dura comigo mesma, percebi que aquela segunda parte estava sendo difícil por que ainda não estava completa na minha cabeça. Por outro lado, a terceira parte eu já via com tanta clareza que resolvi escrevê-la de uma vez.

Em pouco tempo eu tinha o começo e o fim da história. Mas ainda não tinha o meio.

Mais dias de puro pânico e bloqueio. Eu, sentada na frente do computador, com o arquivo aberto e nenhuma palavra escrita. E o final do ano chegando. E eu desesperada pra cumprir pelo menos uma parte da minha meta de publicar ALGUMA COISA EM ALGUM LUGAR.

Foi então que no dia 29 de dezembro, perto da meia-noite, me sentei em frente ao notebook e disse pra mim mesma que escreveria pelo menos um parágrafo antes de ir dormir.

Coloquei meus fones de ouvido, liguei na trilha sonora que eu imaginava para o conto e comecei.

E escrevi.

Fui escrevendo. E escrevendo. E escrevendo e, quando me dei conta, eram 6h30 da manhã de 30 de dezembro e eu tinha terminado a minha primeira história.

Não consigo nem descrever o alivio que senti por ter conseguido. O orgulho de mim mesma. O sentimento de SIM EU SOU CAPAZ DE FAZER ISSO que tomou conta de mim foi emocionante.

O mais interessante de tudo é que, dessa vez, não enfiei os pés pelas mãos, não fui atrás de capista, revisor, etc… fiz tudo na raça, inclusive a capa, e contei com a ajuda das minhas melhores amigas (vocês sabem quem são!) para me darem opiniões, revisarem, e comentarem tudo, o que foi fundamental para o meu processo criativo. Aliás, acho que nenhum dos meus escritos teria mais do que uma página se não fosse o apoio incondicional desse grupo maravilhoso!

Não preciso nem dizer que torrei a paciência de todos os meus amigos e contatos do Whatsapp para que lessem meu conto né? E agora meio que é a vez de vocês! Eu ficaria imensamente agradecida e honrada se vocês pudessem acessar o link da minha história mais IMPROVÁVEL e lessem, comentassem e votassem lá no Wattpad.

Vou adorar saber a opinião de vocês sobre o meu primeiro escrito publicado 😀

Agora, como vocês puderam conferir no post anterior, aquele com as Metas de 2020, eu ainda não desisti da ideia de publicar um livro na Amazon. Já estou voltando a trabalhar no meu “Cara ou Coroa” e em breve venho aqui contar tudo sobre ele pra vocês 😀

Então, eu finalmente criei um blog…

Eu Mesma

Eu não fui uma dessas crianças apaixonadas por leitura desde que se entendem por gente. Pra quem me conhece há algum tempo (ou até quem acabou de conhecer, pra falar a verdade) pode ser um choque, mas eu fui uma daquelas meninas que tinham horror a livros até a adolescência.

Meus pais nunca tiveram o costume de comprar revistinhas da Turma da Mônica pra mim, e o incentivo que a escola pública me dava era ler “Memórias Póstumas de Brás Cubas” pra fazer uma prova. Ninguém me apresentou o Harry Potter, o Percy Jackson ou a Mia Thermopolis, sabe?

Basicamente descobri o amor pela literatura por culpa da J. K. Rowling, quando coloquei as mãos em um exemplar de “Harry Potter e o Enigma do Príncipe” nas férias de 2005. A partir daí foi só ladeira abaixo. Ou acima, dependendo do ponto de vista.

O fato é que, eu posso não ter sido uma criança apaixonada pela leitura lá nos anos 90, mas teve uma coisa que eu sempre amei e que fazia desde que tinha aprendido a juntar letras e formar palavras: escrever.

Eu costumava comprar pequenos cadernos e escrever historinhas mirabolantes sobre sereias, fadas, bruxas e assassinos em série (muito obrigada às franquias cinematográficas “Pânico“, “Lenda Urbana“, “Eu Sei o Que Vocês Fizeram no Verão Passado” e afins, por terem inspirado uma criança a escrever sobre assassinatos). A cada capítulo dessas historinhas eu fazia um desenho pra ilustrar a coisa toda.

Conforme fui ficando mais velha, acabei abandonando as histórias nos caderninhos, mas sempre amei escrever redações na escola, e adorava as atividades onde precisávamos compor poesias, etc.

O interessante é que, depois da descoberta da leitura como um hobby, cair no mundo das Fanfics foi questão de meses, e daí pra redescoberta dessa minha paixão pela escrita não demorou muito.

Eu sempre quis escrever um blog, mas sempre tive medo da coisa toda virar uma obrigação e minha paixão virar uma enorme frustração. O caso é que, atualmente, minha maior frustração tem sido justamente não ter meu blog.

O Pamelisses nasceu para que eu pudesse dividir com o mundo as minhas paixões, que vão da literatura à astrologia. Aqui vocês vão poder encontrar críticas bem amadoras de cinema numa semana e na próxima, talvez, uma dica de produto para o cabelo. Vai ter resenha de livro, mas também vai ter post contando sobre a minha última viagem, ou aquela promoção maravilhosa de “compre 3, pague 2” na loja de “brusinhas” da esquina. Vou falar sobre as séries de TV que estou assistindo, sobre as músicas que estou ouvindo e, de vez em quando, sobre as coisas que estou sentindo.

Então, quem vem comigo nessa nova aventura?