Eu, o Wattpad e o Improvável

Eu Mesma, Literatura

Uma das minhas metas em 2019 era publicar um livro na Amazon.

Como já falei aqui em diversas ocasiões, inclusive no primeiro post desse blog, a escrita e a literatura são as minhas maiores paixões, e no Projeto 2019 contei pra vocês que finalmente resolvi botar a cara no sol e me dar essa meta de auto-publicação.

Infelizmente, acabou não dando TÃO certo assim, e eu prometi, lá no post do Balanço de 2019, que iria contar essa história direitinho pra vocês, então VEM COMIGO!

A ideia inicial era escrever um romance completo, fiz inclusive um calendário e planejamento cuidadoso. Pesquisei capistas, revisores, layoutistas, etc, etc, etc. Big Plans! E acho que o problema foi justamente esse. Eu fui com MUITA sede ai pote, em vez de ter dado aqueles baby steps primeiro.

Não que eu tenha colocado o carro na frente dos bois e tal, mas é que eu NUNCA tinha conseguido terminar uma história na minha vida, mesmo escrevendo “seriamente” desde os 16 anos. Acho que acabei sendo um pouco ambiciosa com essa meta, no fim das contas.

Mas o caso é que, eu realmente comecei a escrever meu romance. “Cara ou Coroa” têm, inclusive, 10 capítulos completos. Entretanto, fiquei tão ansiosa pra por no papel essa história, que acabei pulando uns passos básicos, que sempre faço quando começo a escrever: uma ficha de personagens, uma linha do tempo, um resumo da história, um roteiro capítulo a capítulo e, por fim, uma sinopse.

O negócio é que eu acabei pulando os dois primeiros itens dessa lista. E quando eu cheguei lá no capítulo 10 tava mais perdida que cego em tiroteio: esquecendo nome de personagens, esquecendo características de personagens… e daí eu meio que surtei e parei de escrever. Resolvi voltar pro planejamento antes de continuar, por que se é pra fazer uma coisa, eu quero fazer bem feito.

Infelizmente tudo isso acabou casando com um belo bloqueio criativo, e eu me vi lendo mais livros e escrevendo menos livros. Quando dei por mim os prazos estavam nos meus calcanhares e percebi que ia ser impossível pro “Cara ou Coroa” ver a luz do dia em 2019. Por isso, acabei engavetando o projeto e meio que desistindo de cumprir essa meta.

Até que, no dia 14 de novembro de 2019, eu tive um sonho erótico com o Robert Pattinson.

Sim, meus caros amigos, vocês leram certo.

O que isso tem a ver com a história desse post? Bom, esse sonho meio que me deu a inspiração pra escrever um conto.

A primeira coisa que decidi sobre essa história, fora que seria um conto, foi que ela não iria para a Amazon. Eu ainda queria cumprir minha meta de auto-publicação, pelo menos em partes, mas não haveria tempo hábil para montar uma história, diagramar e lançar numa plataforma como a Amazon. Por isso, acabei optando pelo Wattpad.

O Wattpad é uma plataforma gratuita para publicação de histórias originais e fanfics. Eu faço parte da comunidade, apenas como leitora, desde 2015. Lá você pode tanto ler quanto escrever, e sempre sem pagar nada. Percebi que seria um ótimo ponto de partida começar por essa plataforma antes de tentar abocanhar uma Amazon. Até por que existe uma troca muito grande no Wattpad, os leitores podem comentar paragrafo por paragrafo da sua história e a interação me ajudaria a saber onde eu estaria acertando e onde estaria errando.

Decidido meu veículo, passei um tempo amadurecendo essa ideia. Apesar do sonho ter sido BEM EXPLICITO, na minha cabeça a história foi tomando outras proporções e crescendo em volta de coisas um pouco mais sérias:

Duas semanas depois de ter tido o sonho e da história começar a tomar forma na minha cabeça, eu consegui o plot principal, uma sinopse e A HISTÓRIA COMPLETINHA:

Obviamente cortei as ultimas linhas desse print pra não dar spoiler pra ninguém, heheheeh.

A história seria dividida em 3 partes, a primeira e a ultima bem curtinhas, e a do meio mais parruda. Funcionaria muito como um prólogo, o conto de verdade, e um epílogo. A primeira parte veio fácil. Escrevi praticamente de olhos fechados, de tão bem que fluiu.

Quando cheguei na segunda parte, travei.

E passei mais umas semanas travada. E apavorada com a ideia de não conseguir escrever um simples conto, uma história que não teria nem 50 páginas.

As vezes a gente faz umas coisas consigo mesma totalmente desnecessárias. Acho que nesse período eu fui muito má comigo. Não precisava ter me dito algumas coisas, mas, na hora da frustração, um milhão de pensamentos errados passam pela nossa cabeça.

Eu não era obrigada a escrever um livro ou um conto sequer. Muito menos era obrigada a publicar qualquer uma dessas coisas. Foi uma meta que eu mesma me impus, por que queria dar um pontapé nesse sonho, agarrar com as minhas próprias mãos esse objetivo e não ficar esperando a vida acontecer.

Então depois de algumas semanas de bloqueio e de ser bem dura comigo mesma, percebi que aquela segunda parte estava sendo difícil por que ainda não estava completa na minha cabeça. Por outro lado, a terceira parte eu já via com tanta clareza que resolvi escrevê-la de uma vez.

Em pouco tempo eu tinha o começo e o fim da história. Mas ainda não tinha o meio.

Mais dias de puro pânico e bloqueio. Eu, sentada na frente do computador, com o arquivo aberto e nenhuma palavra escrita. E o final do ano chegando. E eu desesperada pra cumprir pelo menos uma parte da minha meta de publicar ALGUMA COISA EM ALGUM LUGAR.

Foi então que no dia 29 de dezembro, perto da meia-noite, me sentei em frente ao notebook e disse pra mim mesma que escreveria pelo menos um parágrafo antes de ir dormir.

Coloquei meus fones de ouvido, liguei na trilha sonora que eu imaginava para o conto e comecei.

E escrevi.

Fui escrevendo. E escrevendo. E escrevendo e, quando me dei conta, eram 6h30 da manhã de 30 de dezembro e eu tinha terminado a minha primeira história.

Não consigo nem descrever o alivio que senti por ter conseguido. O orgulho de mim mesma. O sentimento de SIM EU SOU CAPAZ DE FAZER ISSO que tomou conta de mim foi emocionante.

O mais interessante de tudo é que, dessa vez, não enfiei os pés pelas mãos, não fui atrás de capista, revisor, etc… fiz tudo na raça, inclusive a capa, e contei com a ajuda das minhas melhores amigas (vocês sabem quem são!) para me darem opiniões, revisarem, e comentarem tudo, o que foi fundamental para o meu processo criativo. Aliás, acho que nenhum dos meus escritos teria mais do que uma página se não fosse o apoio incondicional desse grupo maravilhoso!

Não preciso nem dizer que torrei a paciência de todos os meus amigos e contatos do Whatsapp para que lessem meu conto né? E agora meio que é a vez de vocês! Eu ficaria imensamente agradecida e honrada se vocês pudessem acessar o link da minha história mais IMPROVÁVEL e lessem, comentassem e votassem lá no Wattpad.

Vou adorar saber a opinião de vocês sobre o meu primeiro escrito publicado 😀

Agora, como vocês puderam conferir no post anterior, aquele com as Metas de 2020, eu ainda não desisti da ideia de publicar um livro na Amazon. Já estou voltando a trabalhar no meu “Cara ou Coroa” e em breve venho aqui contar tudo sobre ele pra vocês 😀

[2019] Leituras de Junho

Literatura, Na Estante

O mês de junho culminou no retorno das minhas férias enlouquecidas em Nova York. Foi um mês de readaptação à rotina e não da pra dizer que estou tendo muito sucesso nisso.

Um mês fora pode até parecer pouco, já que o tempo corre quando estamos nos divertindo, mas a mudança na rotina que esse mês causou é bem difícil de ser equilibrada de novo.

E com a minha rotina de leitura não podia ser diferente.

Graças a Deus consegui ler mais do que metade de um livro esse mês (ainda não me recuperei muito bem da vergonha do mês passado), mas ainda não estou em plena forma, como vocês podem conferir abaixo, com as minhas Leituras de Junho:


  1. “Meus dias depois de você” – Chris Melo

Em seu texto mais íntimo, Chris Melo aborda pela primeira vez os percalços da maternidade. É um grande presente para as mães, que vão se enxergar e refletir os momentos pelos quais passaram e para as filhas e filhos que poderão sentir as felicidades e inseguranças indecifráveis da maternidade de um ponto de vista desconhecido.

Muito além de um breve conto, ‘Meus Dias Depois de Você’ é um ensaio, uma conversa sincera sobre o que é ser mãe.

“Talvez o que vou dizer agora não devesse ser pronunciado, mas a verdade é que o meu vazio existencial nunca foi preenchido, ganhou apenas a companhia de uma angústia feliz. Um sentimento controverso, mas não duvidoso. Ser mãe é amar demais e nada pode ser mais angustiante e feliz do que isso.”

Todo mundo que me acompanha nesse blog ou no meu Instagram sabe que eu sou obcecada pela Chris Melo. Ela é a minha autora nacional (e acho que até mesmo internacional) favorita e eu não canso de dizer isso. Qualquer livro, conto ou texto que ela escreva eu vou querer botar as mãos e ler, sem me preocupar com a sinopse. E ela sempre me surpreende, mesmo que eu não me identifique com o mote da história, suas palavras sempre me tocam e me fazem chorar. Não foi diferente com este conto curtinho, que está disponível na Amazon. Mesmo não entendendo nada sobre maternidade, pois não sou mãe e nem quero ser, consegui me emocionar absurdamente em pouquíssimas páginas, graças a maestria com que a autora escreve. Vale a pena, se você for mãe ou não, se apaixonar por mais essa história da Chris Melo.


2. “Hacker” – Ray Tavares

Hannah Knight é uma jovem estudante da Universidade de São Paulo, completamente comum e com alguns problemas de socialização, dona do incrível dom de sempre passar despercebida.

Assim, é na rede que ela consegue ser ela mesma – conhecida por suas habilidades em tecnologia, a hacker é contratada para atuar em pequenos trabalhos em troca de remuneração e ensinamentos de seu melhor amigo e tutor, L. Love.

Além disso, é online que a garota consegue se comunicar com o seu único e grande amor, Oliver Morais. Porém, quando ela aceita o desafio de investigar Sergio Maia, o poderoso agente literário de Oliver, a sua vida começa a mudar.

Mais um livro incrível disponibilizado através da Amazon, escrito por mais uma escritora nacional estelar! A Ray Tavares ganhou todo o meu amor com “Os 12 Signos de Valentina” e desde então estou lendo tudo dela em que coloco as mãos, seja através dos livros publicados pelo Grupo Editorial Record, pela Amazon ou pelo Wattpad! Qualquer que seja a plataforma de publicação, você pode ter certeza de que não vai se decepcionar com a escrita descolada dessa autora! Em “Hacker” ela combina romance, bom humor, criticas sociais, suspense e mistério em uma aventura super gostosa de ler! Não é um livro pra te fazer refletir sobre a vida, mas é um entretenimento de qualidade, ideal pra esfriar a cabeça e se divertir!


3. “A Linguagem do Amor” – Lola Salgado

Aos 17 anos, a única coisa que realmente importa para Rebecca é se formar com louvor na faculdade de Letras para, no futuro, realizar o sonho de trabalhar em uma grande editora, perto de todos os livros de fantasia incríveis com as quais cresceu. Morando em uma nova cidade e longe da proteção dos avós, por quem foi criada, ela lutará para não seguir os passos errantes da mãe.

Estaria tudo nos conformes se não fosse o murmurinho percorrendo os corredores da universidade: Adônis, o novo professor de Produção Textual, é um verdadeiro carrasco. Rude, solitário e mal humorado, ele tenta, na verdade, fugir dos fantasmas passados.

A Linguagem do Amor é um romance intenso e divertido, mas, acima de tudo, uma história sobre dar uma nova chance para a vida quando tudo parece ter saído dos eixos.

Não me julguem, mas este é outro romance de uma das minhas ídolas nacionais e também publicado via Amazon! Eu já falei varias vezes aqui da Lola Salgado e como descobrir essa escritora foi uma das melhores coisas que me aconteceram ano passado! E não estou exagerando! A cada livro que leio dela, mais fica cimentada a sua capacidade incrível de contar histórias! São romances apaixonantes e reflexivos, com cenas quentes descritas com perfeição! Nesta obra, somos inundados pela intensidade de seus dois protagonistas, aparentemente diferentes, mas como semelhanças abrasadoras. Prepare os lencinhos, por que diferente dos livros mais leves e engraçados que li da autora, esse vai arrancar lágrimas dos olhos de qualquer um! E sério, não deixem de conferir as histórias dela publicadas também no Wattpad, são totalmente de graça e igualmente sensacionais!


4. “As Pequenas Coisas” – Lola Salgado

“O problema é que a felicidade não é sólida e inatingível como uma parede de concreto. Pelo contrário. A vida é inconstante e, mesmo nos momentos mais felizes, existem espaços de vazio e incerteza.”

Depois de 6 anos de casados, Rebecca tinha tudo para estar vivendo o seu ‘felizes para sempre’, mas quando a rotina se instala e as dificuldades do dia-a-dia aparecem, é impossível ignorar a enorme sensação de se encontrar em uma rua sem saída, incapaz de seguir adiante.

Tudo o que Adônis mais anseia é ajudá-la, porém em meio as suas frequentes viagens a trabalho, eles parecem se desencontrar cada vez mais.
Aos poucos, eles vão perceber que só há um jeito de recuperar a relação e encontrar o equilíbrio — descobrindo o valor das pequenas coisas.

Chamar de “conto” é minimizar toda a estrutura dessa obra. Do alto de suas quase 200 páginas, “As Pequenas Coisas” deveria ser chamado de livro. Igualmente emocionalmente, me peguei morrendo de chorar logo nas primeiras páginas dessa história. NUNCA VOU TE PERDOAR, LOLA SALGADO! NUNCA! E ela sabe muito bem o por quê! Esse romance complementa o livro anterior e é incrível por que nos mostra como não devemos nos acomodar com o “felizes para sempre”. Amei a abordagem da autora, que trouxe um assunto tão pertinente à nossa geração de uma maneira didática e encantadora. Quem tiver curiosidade, esse “conto” também está disponível na Amazon.


5. “Corte de Gelo e Estrelas” – Sarah J. Maas

O aguardado spin-off da série Corte de Espinhos e Rosas.

Feyre, Rhys e seu círculo íntimo de amigos ainda estão ocupados reconstruindo a Corte Noturna e tentando manter a paz, conquistada a base de muito esforço e perdas pessoais, após a queda da muralha.

Mas o Solstício de Inverno finalmente está próximo e, com isso, um alívio merecido. Compras, festas, celebração e a promessa de dias tranquilos. A atmosfera festiva não consegue, entretanto, impedir que as sombras da guerra se aproximem.

Em seu primeiro Solstício como Grã-Senhora, Feyre ainda lidando com os horrores do passado recente, e percebe que seu parceiro e sua família têm mais cicatrizes do que ela esperava – cicatrizes que podem impactar o futuro, e a paz, de sua Corte.

Olha gente, todo mundo sabe que é Deus no céu e Sarah J. Maas na Terra, mas puta que pariu, como ela encheu linguiça nesse livro. Amo essa série, amo as histórias que essa mulher conta, amo sua escrita e suas personagens femininas fortes e maravilhosas, mas sinto que o conteúdo deste livro poderia ter sido resumido em um conto com facilidade. Tem pontos importantíssimos, inclusive ele fecha aquele ciclo de “Corte de Asas e Ruína” (que na real já tinha ficado bem fechadinho) e começa a introduzir os conflitos e personagens que serão apresentados na próxima série dentro deste universo. Não que tenha sido ruim, foi ótimo matar as saudades de personagens tão amados e ainda acompanhar os pontos de vista de alguns deles, como Mor, Cassian e Nestha, porém, novamente, dava pra ter feito tudo isso numa short story.


Bom gente, estas foram as minhas singelas leituras de junho! Notem que o Kindle vai dominar a minha vida e 90% delas foram lidas pela plataforma digital da Amazon!

Mês que vem tem mais e se Deus quiser MUITO MAIS LEITURAS!

Não se esqueçam de me contar aqui nos comentários o que vocês andam lendo 😉